ABDOMINOPLASTIA (CIRURGIA DE ABDOME)

A cirurgia plástica do abdomen tem como objetivo remover o excedente de pele e gordura da porção baixa da barriga. Após gestações, alterações do peso corporal e o passar dos anos, é quase regra que haja algum excesso de pele e gordura abdominal e nas costas. O objetivo da abdominoplastia é harmonizar o contorno corporal, produzindo melhores curvas, retirando os excessos. É indicada para mulheres e homens cuja flacidez de pele cause desconforto social ou ate mesmo funcional. Estrias localizadas na região abaixo do umbigo em geral podem ser retiradas. É importante lembrar que esse procedimento não visa à perda de peso, mas sim dar forma ao corpo. As cicatrizes resultantes podem ser facilmente escondidas pelos trajes de banho usuais. Observamos melhora importante na autoestima e bem-estar quando alcançamos o resultado planejado. Desde que bem planejada, com boa equipe e bons cuidados pré e pós- operatórios, seu sonho de livrar-se de algumas gordurinhas a mais pode tornar-se realidade. Nenhum procedimento é isento de riscos. No entanto, com os recursos hoje disponíveis, boa técnica cirúrgica e bom seguimento pós-operatorio, estes riscos são minimizados.

  • O que é dermolipectomia abdominal?
  • É a retirada de pele e gordura do abdome
  • O que é a miniabdominoplastia?
  • É o mesmo procedimento, mas com quantidade menor de pele retirada e menor cicatriz. Esse tipo de cirurgia é recomendada para pacientes com pouca flacidez e sobra de pele no abdome inferior, abaixo do umbigo.
  • A cirurgia impedirá de ter filhos futuramente?
  • Não, mas se ser mãe ainda está nos seus planos, deixe a cirurgia para depois. Não é impossível engravidar após essa cirurgia. Porém é recomendado operar quando não se planeja mais ter filhos. Caso seja um assunto ainda incerto, informe seu médico. Alguns detalhes na cirurgia deverão ser modificados.
  • Quantos quilos vou emagrecer com essa cirurgia?
  • O objetivo dessaciruriga nunca é emagrecimento. Evidentemente haverá redução de peso relacionada à pele e gordura retiradas. No entanto, o objetivo dessa cirurgia é retirar "pele flácida" e melhorar o contorno corporal. Obtêm-se melhores resultados quando são retirados pequenos volumes de pele e gordura. Quando a pessoa está acima do peso, mesmo retirando o excesso no abdome, restará gordura em outras regiões, persistindo a desarmonia. Por isso, sempre recomendamos estar próximos ao peso ideal com o objetivo de conseguir o máximo resultado da cirurgia.
  • Posso associar a outras cirurgias?
  • Todo procedimento tem seus riscos e a associação de procedimentos pode incrementar o risco de maneira inaceitável. As cirurgias, como um todo, são classificadas como "limpas", "potencialmente contaminadas", "contaminadas", de acordo com o local do corpo e situação da ferida operatória. Cirurgias que envolvem a cavidade abdominal são potencialmente contaminadas por germes, que podem infectar uma cirurgia plástica considerada "limpa". Converse com seu médico a respeito da associação de procedimentos. Em alguns casos, o risco pode tornar-se inaceitável. Segurança sempre em primeiro lugar.
  • A cicatriz é muito visível?
  • A dermolipectomia clássica, em geral, deixa uma cicatriz ampla, porém facilmente camuflável pelas roupas de banho usuais. Imagine um prolongamento para ambos os lados da cicatriz da cesárea. O tamanho da cicatriz não é fixo, variando de acordo com a estrutura corporal. Lembramos que a evolução da cicatriz para um "traço fino" ou "cordão grosso e alto", na maioria das vezes, depende muito mais das características pessoais e raciais do que da técnica utilizada. (Leia mais sobre queloides e cicatriz hipertrofica).
  • Essa cirurgia trata estrias?
  • É mais comum o acumulo de flacidez e estrias na região baixa do abdome. Em geral é essa pele que irá ser retirada na cirurgia, consequentemente diminuindo muito a quantidade de estrias. Estrias acima do umbigo de regra persistem.
  • O que é "sutura dos músculos abdominais"?
  • Durante a gravidez há um estiramento progressivo dos músculos da parede abdominal. Após o parto, quase nunca retornam a sua posição original, resultando num abdome globoso e abaulado. Esses músculos são reaproximados durante a cirurgia, restabelecendo a rigidez da parede e melhorando em muito o contorno corporal. Em alguns casos, é tão expressiva a diminuição da cintura e realce do efeito "violão", que muitos lançaram o mito de que se realiza a "retirada da última costela", sendo que, na verdade, apenas foi realizada a aproximação da musculatura fragilizada. Este efeito é mais visível em pacientes magras, com flacidez abdominal intensa.
  • Como fica o umbigo nessa cirurgia?
  • Muitos acreditam que "será feito um novo umbigo". Isso não é verdade. É usado o seu próprio umbigo, porém é mudado de lugar e remodelado. Esse procedimento gera uma cicatriz ao redor do umbigo, que sofrerá a mesma evolução das outras cicatrizes. Essa é uma parte por vezes menosprezada mas ainda é responsável por alguns estigmas que revelam que o abdome foi operado. Sempre cuidamos com muito carinho e atenção esse pequeno detalhe de modo que demonstre e mantenha a naturalidade do resultado.
  • A dermolipectomia corrige o "estomago alto"?
  • Nem sempre isso é possível. Se o seu tronco for do tipo longilíneo (estreito e comprido), é mais provável que melhore. Estruturas do tronco do tipo brevilíneo (curto e largo) são menos beneficiadas. É possível, após alguns meses, programar uma lipoaspiração nessas áreas e em outras em que restou gordura localizada. Como sempre em cirurgia plástica, deve-se considerar a hipótese de cirurgias complementares para obter o resultado máximo.
  • Qual a diferença entre "mini-abdominoplastia" ou "mini-abdomen" e "abdominoplastia clássica"?
  • A diferença entre ambas é o tamanho da cicatriz (menor na "mini") e cicatriz ao redor do umbigo (não existe na "mini"). É boa candidata para realizar a mini-abdominoplastia aquela paciente que tem uma pequena flacidez de pele e acúmulo de gordura localizada apenas abaixo do umbigo. Em casos de flacidez maior, é necessária a cirurgia completa para adequada correção do problema. O mais importante é indicar a cirurgia certa para cada pessoa.
  • Que tipo de roupa de banho poderei usar depois da cirurgia??
  • O tipo de roupa de banho dependerá mais do seu próprio manequim do que da cirurgia. A cicatriz pode ser camuflada por "biquínis" ou "tangas" convencionais. O tamanho de cada peça de roupa que pode cobrir a cicatriz fica por conta da naturalidade dos resultados obtidos. Isto, por sua vez, depende muito da estrutura corporal previa da paciente.
  • Quais os riscos dessa cirurgia?
  • Apesar de ter objetivo estético, toda cirurgia plástica tem riscos e deve ser encarada com seriedade. O segredo é sempre prevenir, bom preparo antes, durante e depois da cirurgia. O perigo não é maior nem menor que atividades corriqueiras como andar de avião, carro, atravessar a rua, atividades desportivas, etc. Complicações específicas da cirurgia de abdome: Seroma: acúmulo de gordura liquefeita em pontos localizados. É mais comuns quanto maior a espessura da camada de gordura. É prevenido por uso de drenos, boa técnica cirúrgica, bom cuidado pós-operatório. Para seu tratamento pode ser necessário puncionar com agulha (em geral em parte insensível); Hematoma: Acúmulo localizado de sangue. Não é complicação grave. Previne-se pelas mesmas medidas para evitar seroma; Necrose da pele: Por vários motivos, a pele do abdome pode receber oxigênio insuficiente e morrer. É mais comum em fumantes e com outros problemas de saúde associados (hipertensão e diabetes descontrolados), devido ao prejuízo na circulação sanguínea; Infecção: Todo procedimento cirúrgico pode receber invasores não desejados (bactérias). Esmero, limpeza, higiene são requisitos mínimos para quem planeja submeter-se a esse procedimento.
  • Qual é a evolução pós-operatória?
  • A evolução passa por diversas fases. O inchaço diminui bastante nas primeiras 3 semanas, mas somente apos 12 a 18 meses o resultado pode ser considerado o definitivo. É recomendado andar curvado com passos curtos por 7 a 10 dias. Atividades corriqueiras são retomadas nas primeiras 2 semanas. Dirigir após 3 ou 4 semanas. O sol pode "corar" definitavamente sua cicatriz. Tomar sol (com roupa de banho) após 4 semanas e sol sobre a cicatriz apenas após 6 meses
  • A cirurgia impedirá de ter filhos futuramente?
  • Não, mas se ser mãe ainda está nos seus planos, deixe a cirurgia para depois. Não é impossível engravidar após essa cirurgia. Porém é recomendado operar quando não se planeja mais ter filhos. Caso seja um assunto ainda incerto, informe seu médico. Alguns detalhes na cirurgia deverão ser modificados.
  • Posso associar a abdominoplastia com a cesareana?
  • Não é aconselhável esta associação porque os resultados não serão tão satisfatórios. O sucesso da abdominoplastia depende da paciente encontrar-se no seu peso habitual. Logo após o parto, o abdome ainda está inchado e cheio de líquido, por isso é recomendado esperar que todo esse inchaço desapareça. Desse modo, sobra mais pele para retirar e aumentam as chances de uma cirurgia de melhor qualidade. Além disso, o pós-operatório da abdominoplastia pode interferir na amamentação e nos cuidados com o bebê. Portanto, o ideal é esperar cerca de 6 meses após o parto.
  • Respeitado o prazo, se eu fizer a abdominoplastia depois da cesareana ficarei com as duas cicatrizes?
  • Não. A dermolipectomia abdominal retira a cicatriz da cesareana e a única cicatriz aparente será a da cirurgia plástica.
  • A minha sensibilidade no abdome ficará alterada após a cirurgia?
  • Sim. É comum nos primeiros seis meses a sensibilidade do abdome ficar reduzida, porém isso é transitório. Após este período, a sensibilidade retornará por completo como era antes da cirurgia.
  • O meu umbigo será retirado e depois reconstituído?
  • Muitos acreditam que "será feito um novo umbigo". Isso não é verdade. É usado o seu próprio umbigo, porém é mudado de lugar e remodelado. Esse procedimento gera uma cicatriz ao redor do umbigo, que sofrerá a mesma evolução das outras cicatrizes. Essa é uma parte por vezes menosprezada mas ainda é responsável por alguns estigmas que revelam que o abdome foi operado. Sempre cuidamos com muito carinho e atenção esse pequeno detalhe de modo que demonstre e mantenha a naturalidade do resultado. A cicatriz resultante terá forma harmônica e voltada para seu interior, ficando assim, pouco visível.
  • Vou precisar usar dreno?
  • Sim. O tempo de utilização do dreno depende da quantidade de secreção a ser eliminada. Esse período varia entre 1 e 7 dias.
  • A partir de que dia posso tomar banho?
  • No dia seguinte e é recomendado utilizar sabonete neutro.
  • Depois de quantos dias o cirurgião começa a retirar os pontos?
  • Logo após a primeira semana do pós-operatório.
  • A cicatriz deixada pela dermolipectomia abdominal é muito perceptível?
  • A sutura feita na dermolipectomia de abdome é logo acima da implantação dos pelos pubianos e ela resulta em uma cicatriz habitualmente fina e em forma de arco que fica escondida sob as roupas de banho.
  • Quais os cuidados com a postura e exercícios no pós-operatório?
  • A paciente deverá andar encurvada durante os primeiros dias porque a pele estará muito esticada. Atividades que exigem maior esforço físico, como dirigir e fazer ginástica, só poderão ser retomadas após 30 dias.
  • O pós-operatório da abdominoplastia é muito doloroso?
  • Ao contrario do que a maioria pensa, não é uma cirurgia dolorosa. A aproximação da musculatura do abdome causa certo desconforto quando o abdome é requisitado (tossir, levantar-se, mover o tronco). A pele da região próxima à cicatriz torna-se pouco sensível, melhorando apenas após 6 a 12 meses. Tomando os devidos cuidados e as medicações necessárias, é perfeitamente tolerável. Uma cirurgia plástica de abdome que tenha uma evolução habitual não costuma ser muito dolorosa. Analgésicos são prescritos para minimizar a dor.
  • Quando poderei notar o resultado definitivo da cirurgia?
  • Após os primeiros seis meses de cirurgia e neste período, a área poderá apresentar inchaços que diminuirão gradativamente. As sessões de drenagem linfática são essenciais para que o tempo de recuperação seja o menor possível.
  • É obrigatório fazer drenagem linfática?
  • Sim. É recomendado que se faça um tratamento estético planejado, a drenagem linfática com ultrassom é uma massagem indicada para eliminar o inchaço do abdome, garantir uma melhor circulação sanguínea e de linfa, acelerar a maturação da cicatriz e ajudar o organismo na recuperação da cirurgia.
  • O uso da cinta modeladora é obrigatório?
  • Sim. Após a cirurgia plástica ela deve ser utilizada pelo menos pelos próximos dois meses. Ela comprime o abdome reduzindo o inchaço, promove melhor cicatrização e a paciente sente-se mais segura e confortável com ela.


BRAQUIOPLASTIA – CIRURGIA PARA CONTORNO DOS BRAÇOS


O contorno dos braços é parte importante da imagem corporal, especialmente em regiões onde é grande a exposição do corpo. Os processos de envelhecimento e alterações de peso levam ao acúmulo de gordura e flacidez de pele dos braços. O lift de braço, ou braquioplastia, visa remover o excesso de gordura e corrigir a flacidez, proporcionando contorno mais harmonioso.
As técnicas utilizadas dependem das alterações presentes em cada caso. Em pacientes sem flacidez de pele e com gordura localizada a lipoaspiração é o mais indicado. Para pacientes com flacidez de pele indica-se a dermolipectomia de braços, que consiste na retirada da pele excedente.
CICATRIZES
As lipoaspirações tem cicatrizes mínimas, de 0,5 cm, localizadas em áreas facilmente disfarçáveis. A dermolipectomia de braços tem cicatrizes variáveis localizadas no sulco braquial e/ou axila.
CONSULTA
Durante a consulta inicial será avaliado o tamanho e formato dos braços, além de flacidez e excessos de gordura. É importante que você esteja preparado para relatar seu passado médico, doenças, alergias, uso de medicações, exames e cirurgias prévias. Serão realizadas fotografias para planejamento e discussão da estratégia cirúrgica.

  • A cirurgia deixa cicatriz muito visível?
  • A cicatriz de uma dermolipectomia de braço localiza-se próxima à dobra da axila. Quando há excesso de pele também é necessária uma cicatriz vertical estendendo-se posteriormente ao braço, a qual apresentará maior ou menos extensão dependendo do volume de pele excedente a ser corrigido.
  • A dermolipectomia de braço corrige o excesso de gordura localizada da região?
  • Isto depende do seu biotipo e volume de gordura localizada. Também tem grande importância, sob este aspecto, a espessura do panículo adiposo (espessura da gordura) que reveste o corpo. Dependendo do caso, poderá ser associada uma lipoescultura no local junto com a dermolipectomia ou previamente.
  • Há perigo nessa operação?
  • Raramente a cirurgia de dermolipectomia braquial traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação desta cirurgia simultaneamente a outras. Porém para que os riscos sejam mínimos é necessária à observação das orientações pré e pós-operatórias do cirurgião.
  • Quais complicações podem ocorrer?
  • Dentre as complicações possíveis, porém incomuns, podem ser citados: hematoma, seroma, infecção, necrose (sofrimento da pele), deiscência (abertura da sutura), quelóide, trombose, embolia.
  • Que tipo de anestesia é utilizada para esta operação?
  • Anestesia geral ou local com sedação.
  • Quanto tempo dura o ato cirúrgico?
  • Em média de 2 à 3 horas
  • Qual o período da internação?
  • Normalmente 24 horas
  • Quando poderei tomar banho completo?
  • Geralmente 2 dias após a cirurgia
  • Após quanto tempo atingirei o resultado final?
  • O resultado definitivo da dermolipectomia é atingido após 6 meses da cirurgia, período necessário para a acomodação dos tecidos e amadurecimento da cicatriz.
  • Após quanto tempo atingirei o resultado final?
  • O resultado definitivo da dermolipectomia é atingido após 6 meses da cirurgia, período necessário para a acomodação dos tecidos e amadurecimento da cicatriz.
  • Se eu fizer exercícios após a cirurgia o resultado da cirurgia irá melhorar?
  • A prática de exercícios regulares e direcionados aos músculos destas regiões melhoram bastante o aspecto estético.
  • A lipoaspiração pode substituir a dermolipectomia (retirada de pele)?
  • Em algumas situações, a lipoaspiração deixa um excedente de pele sendo preciso recorrer à cirurgia plástica. Nesse caso, a lipoaspiração retira a gordura e o lifting retira a pele excedente, deixando o braço ou a coxa mais firmes.
  • O resultado da cirurgia compensa?
  • É uma cirurgia na qual deve-se avaliar a relação custo-benefício visto que está trocando a flacidez por uma cicatriz em uma região relativamente aparente. Embora a cicatriz seja demarcada para ficar na face interna, sempre irá aparecer ao levantar os braços ou afastar as coxas.


  • GLUTEOPLASTIA - PLÁSTICA NO BUMBUM


    Não há como negar que o bumbum é uma paixão nacional. Os homens não resistem quando veem uma mulher com um bem redondinho e empinado e as mulheres, por sua vez, fazem de tudo para deixar o bumbum exatamente assim, digno de dar torcicolo em qualquer homem.
    Pequeno, grande, caído, achatado… As brasileiras sempre encontram um defeitinho no bumbum. Exibir um glúteo perfeito virou quase obsessão entre as brasileiras, tanto que a procura por tratamentos estéticos e cosméticos que prometem glúteos em dia tem aumentado muito nos últimos anos.
    Para quem busca um resultado definitivo, as cirurgias plásticas são as técnicas mais procuradas. Já quem quer um efeito bem bacana, mas temporário, os tratamentos estéticos são ótimos aliados. E quem busca um resultado imediato, pode recorrer à moda: algumas roupas prometem empinar o bumbum, e outras, deixá-lo mais redondinho. Isso sem mencionar que as aulas localizadas de glúteo e a mesa flexora são disputadíssimas nas academias.
    A alimentação também tem papel importante na aparência dos glúteos: evite alimentos gordurosos, industrializados e açúcares, abuse dos vegetais de cor laranja e folha verde escura que são ricos em vitamina A e garantem uma pele saudável e rígida.
    Agora, se você já tentou de tudo isso, e acha que nada surtiu efeito, já que seu bumbum ainda não é o que você sempre sonhou, aí sim é hora de aderir ao bisturi.
    Um dos recursos mais utilizados é a Gluteoplastia de Aumento, também conhecida como inclusão de próteses de silicone no bumbum. As próteses têm formatos diversos e são colocadas dentro do músculo do bumbum dando um aspecto bem natural.
    A Gluteoplastia , conhecida também como plástica no bumbum, remodela a região dos glúteos deixando-os com maior volume, mais arredondados e bonitos. Para que o resultado fique harmonioso, deve-se levar em consideração a anatomia da paciente. Se ela for muito magra e com bumbum muito pequeno há certa limitação no tamanho da prótese a ser utilizada. Existem até mesmo casos em que a prótese não poderá ser indicada.
    Dispomos também do recurso de inclusão de gordura no bumbum, ou Lipoescultura Glútea. Através dela, podemos esculpir o bumbum utilizando a própria gordura da paciente, retirada de onde está em excesso (através da lipoaspiração) e colocada onde está em falta. Os resultados com esta técnica também são muito bons.
    Outra técnica muito comum é a associação entre lipoescultura e a inclusão de próteses. Primeiro, colocamos a prótese no bumbum e depois preenchemos os espaços faltantes com a gordura retirada da lipoaspiração.

  • Qual é o limite para o aumento do bumbum?
  • O glúteo não é uma região tão distensível quanto a mama, porque a pele é menos elástica e a camada muscular é maior e mais grossa. Deste modo, não é possível colocarmos grandes volumes de prótese e ter uma variedade de aumento e de formato muito grande. Além disso, o limite de aumento depende da harmonia que o “novo” bumbum vai trazer para o restante do corpo da paciente.
  • A cicatriz da gluteoplastia é muito perceptível?
  • Não. Felizmente, este tipo de cirurgia permite que a cicatriz seja disfarçada. Ela fica no sulco glúteo, na depressão natural entre as nádegas e tem em torno de 7 centímetros.
  • Há possibilidade da minha cicatriz ficar visível?
  • Sua cicatriz somente ficará visível se você se abaixar nua. Até mesmo de pé e nua, a cicatriz fica escondida no sulco glúteo.
  • Como ficará a forma e a consistência do meu glúteo após a cirurgia?
  • Após a colocação das próteses, as nádegas ficarão maiores e ocorrerá um aumento na consistência do bumbum. Ele ficará com aspecto “durinho e empinado”, como toda mulher deseja, sem deixar de obedecer à harmonia natural do corpo proporcionado pelo tamanho do tronco e das pernas.
  • Posso escolher o tamanho e o formato da minha prótese?
  • O cirurgião plástico e a paciente entrarão em um consenso quanto à prótese ideal a ser colocada. Cada caso requer um estudo detalhado para que o resultado fique equilibrado e bonito.
  • O resultado final é imediato?
  • Não. Nenhuma cirurgia plástica apresenta os resultados finais no final do procedimento. Apesar disto, a gluteoplastia permite ter uma noção muito boa de como ficará o bumbum de forma definitiva já no pós-operatório imediato.
  • Eu sentirei muita dor após a gluteoplastia?
  • Eu sentirei muita dor após a gluteoplastia?Nos primeiros dias é normal sentir dores musculares na área operada, mas nada que não possa ser controlado com analgésicos e anti-inflamatórios.
  • É necessário retirar os pontos?
  • Sim, porque nesse tipo de cirurgia são utilizados pontos de nylon, inabsorvíveis.
  • Precisarei usar dreno?
  • Sim, mas por poucos dias. O dreno é utilizado para evitar o acúmulo de secreções ao redor da prótese.
  • Em quanto tempo poderei tomar banho?
  • No dia seguinte. Não há restrições quanto ao banho no pós-operatório, somente recomendamos sabonete neutro.
  • Quando poderei retomar minhas atividades físicas?
  • Exercícios como musculação e ginástica podem voltar a ser praticados dentro de um mês. Deve-se evitar, porém, os esportes de contato por mais tempo. O cirurgião plástico deverá orientá-la bem quanto a isto, porque depende da recuperação de cada paciente.
  • Pode ocorrer rejeição da prótese pelo meu corpo?
  • Problemas de “rejeição” (extrusão) da prótese, apesar de raros, podem ocorrer nos casos de infecção e deiscência (abertura) dos pontos. O corpo produz uma reação inflamatória ao redor da prótese formando uma cápsula. Isto ocorre de forma natural em todos os casos. Quando esta cápsula começa a comprimir a prótese, dá-se o nome de contratura capsular. Algumas pacientes podem permanecer assintomáticas, enquanto outras podem apresentar endurecimento, alteração da forma e dor local, dependendo do grau da contratura. Caso isso ocorra, a prótese deverá ser trocada. Nestes casos optamos por uma prótese de menor tamanho.
  • Precisarei fazer uma nova cirurgia para trocar as próteses?
  • O desenvolvimento tecnológico do silicone da prótese permitiu um aumento no tempo da sua permanência para mais de 30 anos. Uma nova cirurgia precisará ser feita se houver algum problema com a prótese durante este período.
  • Posso aproveitar a gluteoplastia para fazer outras cirurgias ao mesmo tempo?
  • Sim. É comum que se associe a cirurgia plástica do glúteo à lipoaspiração, por exemplo. Tudo vai depender da conveniência da associação, que será estudada pelo cirurgião plástico.
  • A partir de que idade, posso realizar a cirurgia?
  • Não existe uma idade ideal para se operar. Em mulheres, após 4 anos da primeira menstruação as alterações corporais já estão bem estabelecidas. O ideal é que a cirurgia seja feita a partir dos 18 anos. Antes disso, os casos devem ser avaliados individualmente.
  • Quem são os candidatos a realizar esta cirurgia?
  • Existem dois grupos de pacientes que se beneficiam de formas diferentes. O primeiro grupo é de pessoas jovens, com pouca ou nenhuma flacidez. Apresentam o "bumbum chato", pequeno e sem projeção. No segundo grupo estão incluídas as pessoas com mais idade, que apresentam, além da pouca projeção, certa flacidez de pele e queda do bumbum. A prótese não melhora o aspecto do "bumbum caído", mas pode melhorar a flacidez e disfarçar o problema. Para corrigir o "bumbum caído" é necessário outro tipo de procedimento. Recentemente alguns homens têm procurado esta cirurgia com resultados igualmente satisfatórios.
  • Onde fica a cicatriz? É muito perceptível?
  • A cicatriz de 6 a 7cm fica entre as nádegas. Quando a pessoa está em pé não é visualizada. Quando obtemos bom resultado, a cicatriz é muito pouco perceptível. Local da cicatriz:
  • Onde fica a prótese? Vou conseguir palpar a prótese?
  • A localização da prótese é o fator mais importante no bom resultado da cirurgia. A prótese é colocada exatamente no meio do maior músculo do glúteo (chamado glúteo maior ou glúteo máximo). O posicionamento profundo da prótese impede que a mesma apareça na superfície ou que seja palpável. Nas primeiras cirurgias, as próteses foram colocadas em plano logo abaixo da pele (subcutâneo), tornando-se palpáveis e endurecidas tardiamente. O esquema abaixo ilustra onde fica posicionada a prótese.
  • Corro o risco de ficar artificial?
  • Quando conseguimos alcançar um bom resultado, o resultado é natural. O contorno da prótese não é perceptível nem tampouco palpável.
  • Quais os cuidados no pós-operatório?
  • É verdade que não pode sentar?Existem muitos mitos a respeito do pós-operatório desta cirurgia. Quando sentamos, usamos principalmente a parte de trás das coxas e terço inferior do glúteo. A prótese é colocada na parte superior do glúteo. Logo, não sentamos sobre a prótese. Logo após a cirurgia a paciente sente-se mais confortável nas posições "de lado" e "de bruços". Usualmente colocamos um apoio sobre as coxas e nas costas, permitindo que a prótese fique isolada quando na posição sentada. Portanto, é sim permitido sentar-se logo após a cirurgia, tomando os devidos cuidados. Deitar-se de barriga para cima sem apoio nas costas não é permitido nos primeiros dias. Após 7 dias, normalmente é possível sentar-se com certo desconforto. Durante as primeiras 48 horas, é utilizado um dreno de aspiração à vácuo para evitar o acúmulo de líquidos na cirurgia.
  • Em quanto tempo posso retomar minhas atividades normais?
  • Após 10 a 14 dias a vida social é retomada. Caminhar, dirigir e outras atividades corriqueiras são retomadas neste período. Atividades de maior impacto e uso de força muscular somente após 2 meses.
  • É verdade que não mais poderei tomar injeção no glúteo?
  • Injeções no glúteo NÃO SÃO PERMITIDAS. Não existe medicação que seja de uso único e exclusivo no glúteo. Não haverá prejuízo na sua vida devido este detalhe. Reforçamos que, em caso de acidente ou emergência, e você chegue inconsciente no hospital, não existe medicação injetável no glúteo que seja realizada de rotina. Este tipo de paciente recebe todas as medicações direto dentro da veia.
  • Quais os tipos de prótese?
  • Existe prazo de validade?As próteses utilizadas são feitas de silicone, com superfície lisa. Quanto ao formato podem ser redondas ou ovais. O seu médico vai avaliar o seu caso e definir o que resolve melhor o seu problema. Após a cirurgia, são realizados exames seriados de ultrassonografia (a cada 1 ou 2 anos). Não há necessidade de trocar periodicamente, exceto se houver algum problema. Não há prazo de validade definido.
  • Qual o tipo de anestesia?
  • Em geral, é utilizada a anestesia tipo raqui ou peridural..
  • Tenho um implante antigo colocado em plano superficial e quero trocá-lo, como faço?
  • Os implantes posicionados em plano superficial tornam-se visíveis e palpáveis com o tempo. Nestes casos, estes devem ser retirados e, após período de 6 meses, implantados novas próteses em plano mais profundo. Este intervalo de tempo é necessário para que haja cicatrização dos tecidos.
  • Quais os riscos desta cirurgia?
  • Assim como QUALQUER cirurgia, há riscos. Aqui destacamos os riscos inerentes ao procedimento anestésico e implante de prótese. A prótese, por mais moderna que seja, é um material que não pertence ao organismo e pode não ser aceita. Caso ocorra algum tipo de "rejeição" é necessário retirar os implantes e aguardar, no mínimo 6 meses para recolocá-los.

  • CRUROPLASTIA – CIRURGIA DAS COXAS


    As técnicas utilizadas dependem das alterações presentes em cada caso. Em pacientes sem flacidez de pele e com gordura localizada, em áreas como culotes ou face interna de coxas, a lipoaspiração é o mais indicado. Para pacientes com flacidez de pele indica-se a dermolipectomia de coxas, que consiste na retirada de pele excedente.
    CICATRIZES
    As lipoaspirações tem cicatrizes mínimas, de 0,5 cm, localizadas em áreas facilmente disfarçáveis. A dermolipectomia de coxas tem cicatrizes variáveis localizadas na virilha.
    CONSULTA
    Durante a consulta inicial será avaliado o tamanho e formato das coxas, além de flacidez e excessos de gordura. É importante que você esteja preparado para relatar seu passado médico, doenças, alergias, uso de medicações, exames e cirurgias prévias. Serão realizadas fotografias para planejamento e discussão da estratégia cirúrgica.


    LIPOASPIRAÇÃO


    Quem nunca se pegou olhando no espelho apertando aquele "pneu" e desejando que ele não estivesse ali? Poucos ou quase ninguém fica fora desse grupo. No entanto, a maioria das pessoas resolve total ou parcialmente isso com dieta e atividade física. Sabemos, porém, que alguns locais do corpo dificilmente emagrecem mesmo com esforços hercúleos! É o caso dos flancos e aquela "barriguinha extra". É um tema vasto e interessante.Também conhecida como lipoescultura, a lipoaspiração remodela áreas específicas do corpo, removendo o excesso de depósitos de gordura, melhorando os contornos do corpo e a proporção.
    A lipoaspiração não é um tratamento para a obesidade e não substitui a prática de exercício físico e bons hábitos alimentares. Indivíduos com áreas de gordura no corpo e que se exercitam regularmente são os melhores candidatos a este procedimento.
    Tentaremos abrangê-lo baseados nas perguntas mais freqüentes ouvidas no consultório, tentando tornar sua leitura mais agradável.

  • A partir de quantos anos posso fazer lipo?
  • Em caso de mulheres, após 4 anos menstruando, consideramos que as alterações hormonais impostas pela puberdade já estão estabelecidas; logo, a cirurgia já é possível. Homens e mulheres têm como idade ideal para cirurgia após os 18 anos, principalmente devido à maturidade e a questões legais. Antes dessa idade, os casos deve ser analisados individualmente.
  • Vou emagrecer fazendo lipo?
  • Emagrecer com lipo é um mito. O objetivo da lipoaspiração é melhorar o contorno corporal. Acentuar uma curva, realçar a cintura, retirar os excessos localizados. Realmente até ocorre alguma diminuição do peso corporal, mas não é o volume retirado que dá o resultado. Aliás, são as menores lipoaspirações que proporcionam resultados melhores. Quando o paciente está acima do seu peso, o ideal é perder uns quilinhos antes e, quando sobrar a gordura localizada¸ realizar a lipoaspiração. Grandes lipoaspirações trazem riscos maiores (veja abaixo em "riscos"). O Conselho Federal de Medicina estipulou em 7% do peso corporeo o volume máximo a ser lipoaspirado de uma só vez. (Ex: Se pesa 60kg, maximo: 4,2 litros).
  • Vou ficar roxa, inchada?
  • Por quanto tempo?Ficar roxa (equimose) e inchada (edema) é praticamente uma constante na lipoaspiração, variando em maior ou menor grau de acordo com o tamanho do procedimento. Em torno do 7º dia inicia-se regressão do inchaço, melhorando muito (em torno de 60%) até o 21º dia. Manchas roxas desaparecem antes.
  • A partir de quando vou poder ter vida normal?
  • Tomar sol? Academia?O retorno a vida normal depende do tamanho do procedimento. Em uma cirurgia média (abdome anterior e costas), em torno de 5 a 7 dias são suficientes para retornar à rotina, desde que não seja muito extenuante ou pesada. Alguns prazos estipulados para retorno às atividades (podem variar de acordo com a evolução): Tomar banho: dia seguinte; Dirigir: 5 dias; Trabalhar: 5 dias (ambiente fechado, pouca atividade fisica); Tomar sol: 60 dias (com roupa de banho. Não expor as cicatrizes por 6 meses, sob risco de cora-la definitivamente); Academia: Caminhada com 7 dias. Corridas com 21 dias. Musculação: 30 dias..
  • Qual a diferença entre hidrolipo, lipo-express, minilipo?
  • Essas denominações representam uma forma de tentar dizer que são "mini" ou "micro" e, com isso, menos arriscado. É uma jogada de marketing desonesta com o paciente. Há mais de 20 anos todas as lipoaspiraçãoes são "hidro". Lipoaspiração é cirurgia. Ponto. Existem algumas modificações quanto à diluição utilizada, forma de realização e extensão da lipoaspiração. No entanto, o principio básico é o mesmo. A cirurgia com anestesia local é, sim, segura, desde que em mãos treinadas, mas deve ser realizada em centro cirúrgico. Jamais em consultório! Não importa o tamanho da sua lipo. Sempre deve ser feita em hospital ou clínica que tenha centro cirúrgico apropriado, com equipamentos adequados para atender uma emergência. Existem clínicas especializadas em cirurgia plástica muito bem estruturadas, mas em um consultório (o nome já indica que deve ser realizado apenas "consultas") o risco de estar desamparada em casos de intercorrências é grande. Não vire manchete de jornal.
  • Lipoaspiração dura para sempre?
  • Absolutamente nada nesta vida é para sempre. Quem dirá uma cirurgia de contorno corporal. No entanto, o resultado não é transitório. Desde que siga mantendo bom peso corporal, pode, sim, manter o resultado por muitos e muitos anos. O adipócito (célula de gordura) aspirado não "nascerá de novo". Ele foi definitivamente eliminado. Mas, em casos de ganho de peso exagerado, as células restantes são suficientes para fazer "perder o resultado", jogando ladeira abaixo o resultado de um esforço e gastos feitos.
  • Qual a diferença entre lipoaspiração e lipoescultura?
  • Diz-se lipoescultura quando, além da lipoaspiração, a gordura retirada é recolocada (enxertada) em outros locais. Literalmente o corpo é "esculpido", pois se retira de onde sobra e se enxerta onde falta, caracterizando um trabalho de "escultura do corpo". Vale lembrar que o resultado da lipoescultura depende da "pega do enxerto". Sabemos que nem toda gordura reintroduzida é reintegrada ao organismo. Ou seja, parte da gordura injetada vai ser reabsorvida (persistirá em torno de 40 a 60% apenas). O mais comum é aspirar dos flancos e injetar nos glúteos. Lipoesculturas bem sucedidas promovem mudanças radicais no contorno corporal.
  • Ainda vou engravidar. É recomendado operar ou esperar?
  • Não existe uma "resposta certa" para essa questão. Existem considerações que devemos ponderar sobre riscos e benefícios. Sabe-se que acumulamos gordura de duas formas: as células gordurosas (adipócitos) crescem ou duplicam. A duplicação só ocorre em 2 fases da vida feminina: puberdade e gravidez. O crescimento (ou hipertrofia) da célula gordurosa ocorre a vida toda. Se realizada antes da gestação existe benefício teórico de diminuir as células de gordura que serão duplicadas na gestação, resultando em menor distensão de pele e menores consequências (menos estrias). Por outro lado, muitas precisam de um "retoque" após a gestação. Se a gestação está programada para perto, é melhor esperar.
  • Por que as pessoas morrem fazendo lipo?
  • Quais os riscos da cirurgia? É necessário UTI?As principais causas de óbito em lipoaspiração estão relacionadas à "embolia pulmonar" e "trauma direto da cânula em órgãos de dentro da barriga". A embolia pulmonar está diretamente relacionada ao tamanho da cirurgia e a fatores de risco como varizes, uso de hormônios, tabagismo. Quanto maior a cirurgia, maior o risco. A suspensão dos hormônios (anticoncepcionais, reposição hormonal pós-menopausa) é solicitada na maioria dos casos. Cigarro e cirurgia não combinam nunca. O CFM exige que o hospital tenha UTI e ambulância de referência em caso de necessidade, não sendo obrigatório o leito de UTI no hospital. Não é a UTI que salva a pessoa. São os profissionais treinados, em ambiente adequado e bom preparo para a cirurgia.
  • Qualquer médico pode fazer lipoaspiração?
  • O CFM não exige que o médico tenha título de especialista em Cirurgia Plástica para realizar cirurgias plásticas. No caso da lipoaspiração, exige-se que o médico tenha feito, no mínimo, 2 anos de residência em Cirurgia Geral. Infelizmente, vemos profissionais não preparados, treinados em "cursos de final de semana", realizando esse tipo de procedimento. O Cirurgião Plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica dedicou, no mínimo, 11 anos de esforço para sua formação. (São necessários 2 anos em Cirurgia Geral e 3 anos em Cirurgia Plástica, após os 6 anos do curso de graduação). Segundo dados do Conselho Regional de Medicina de São Paulo, 97% dos processos legais apontando possíveis "erros médicos" em cirurgia plástica eram respondidos por "não especialistas". Apenas 3% eram cirurgiões plásticos.
  • Quais os conselhos para quem pensa em fazer uma lipoaspiração?
  • Se você está acima do peso, tente aproximar-se do ideal. Tente imaginar também por que isso aconteceu e corrija a causa! Junto com a cirurgia, devem ser aliadas mudanças no estilo de vida, principalmente alimentação e atividade física. De nada adianta fazer lipo e continuar sedentário e comendo erradamente. Deve-se encarar a cirurgia como o começo de uma era de transformações com mudanças positivas não somente no âmbito estético, mas também no direcionamento para uma vida mais saudável em todos os sentidos. Um bom resultado cirúrgico associado a uma vida engajada na qualidade de vida, traz inegáveis e ótimos frutos.
  • Para qual tipo de paciente a lipoaspiração está indicada?
  • A paciente ideal apresenta peso adequado para sua altura e alterações de distribuição na gordura localizada com perda do contorno corporal, de forma que quanto mais tecido elástico possuir a pele, melhor o resultado.
  • A lipoaspiração pode ser feita em qualquer região do corpo?
  • A lipoaspiração não deve ser realizada em regiões de articulação e próximas de nervos, artérias e veias, além disso não é recomendado também em antebraços e panturrilhas. As outras regiões podem ser tratadas.
  • Que tipo de anestesia pode ser usada na lipoaspiração?
  • Que tipo de anestesia pode ser usada na lipoaspiração?Depende da superfície e da quantidade de gordura que será aspirada, dessa forma pequenos volumes podem ser tratados com anestesia peridural, já nas lipoaspirações maiores está indicada a anestesia geral.
  • Posso associar a lipoaspiração à outra cirurgia plástica??
  • Sim. É comum a associação da lipoaspiração com outros procedimentos, tais como prótese de mama e abdominoplastia.
  • Qual o tamanho das cicatrizes e onde ficam localizadas?
  • As cicatrizes são pequenas, cerca de 0,5 cm, geralmente em regiões escondidas nas roupas de banho. A utilização de protetores de pele durante o procedimento proporcionam cicatrizes de alta qualidade, quase imperceptíveis.
  • Pode-se utilizar cola no orifício (cicatriz) da lipoaspiração?
  • Sim. A utilização de cola cirúrgica é uma boa opção.
  • É necessário usar dreno?
  • Nas grandes lipoaspirações com retirada de grande quantidade de gordura pode ser necessário aplicá-lo.
  • Como é a evolução no pós-operatório?
  • Ao término da cirurgia o resultado do novo contorno do corpo já pode ser observado. Após algumas horas, inicia-se um processo inflamatório com inchaço que oculta o resultado. Durante as 3 primeiras semanas, com as drenagens linfáticas, muito deste inchaço desaparece podendo visualizar-se boa parte do resultado obtido. Com o decorrer das semanas, mais edema desaparece.
  • Existe alteração de sensibilidade no local operado?
  • É comum a diminuição da sensibilidade devido ao edema da região, mas é temporária.
  • Em quanto tempo podem ser retirados os pontos?
  • Em torno do 7º dia do pós-operatório.
  • É recomendável fazer drenagem linfática durante o pós-operatório?
  • Sim. A drenagem linfática é obrigatória porque diminui o inchaço e o desconforto após a cirurgia. Ela deve ser iniciada no 3º dia de pós-operatório, com frequência mínima de 3 sessões em dias alternados, podendo ser feita diariamente. Isto reduz muito a incidência de fibrose e retrações..
  • Por que é utilizado o ultrassom em conjunto com as drenagens no pós-operatório de lipoaspiração?
  • Além de apresentar ação anti-inflamatória, o ultrassom é aplicado para melhorar a cicatrização, diminuir o inchaço, ondulações e a absorção de gordura mais rapidamente.
  • Quanto tempo deve-se usar cinta modeladora no pós-operatório?
  • Cerca de 2 meses porque reduz a incidência de irregularidades, edema e fibroses.
  • O que é minilipo, lipolight e hidrolipo?
  • Estes procedimentos são sinônimos e nada mais são que uma lipoaspiração convencional realizada por segmentos corporais, geralmente feita em clínicas e com anestesia local. São marcadas várias sessões semanais com tratamento das diversas regiões por partes, aspirando uma quantidade de gordura pequena em cada sessão. Estes procedimentos não são realizados em nossa clínica por acreditarmos que a lipoaspiração, independente do porte, deve ser feita em ambiente hospitalar com a presença de anestesista e suporte adequado para qualquer intercorrência. Optando pela técnica adequada e com máxima segurança, médico e paciente obtêm um resultado harmonioso e bonito que traz de volta a autoestima e o bem-estar. O sucesso e a segurança do procedimento dependem muito de sua sinceridade durante a consulta. Você será questionado sobre sua saúde, desejos e estilo de vida.

  • LIPOESCULTURA


    Quem nunca se pegou olhando no espelho apertando aquele "pneu" e desejando que ele não estivesse ali? Poucos ou quase ninguém fica fora desse grupo. No entanto, a maioria das pessoas resolve total ou parcialmente isso com dieta e atividade física. Sabemos, porém, que alguns locais do corpo dificilmente emagrecem mesmo com esforços hercúleos! É o caso dos flancos e aquela "barriguinha extra". É um tema vasto e interessante.Também conhecida como lipoescultura, a lipoaspiração remodela áreas específicas do corpo, removendo o excesso de depósitos de gordura, melhorando os contornos do corpo e a proporção. A lipoaspiração não é um tratamento para a obesidade e não substitui a prática de exercício físico e bons hábitos alimentares. Indivíduos com áreas de gordura no corpo e que se exercitam regularmente são os melhores candidatos a este procedimento. Tentaremos abrangê-lo baseados nas perguntas mais freqüentes ouvidas no consultório, tentando tornar sua leitura mais agradável.

  • A partir de quantos anos posso fazer lipo?
  • Em caso de mulheres, após 4 anos menstruando, consideramos que as alterações hormonais impostas pela puberdade já estão estabelecidas; logo, a cirurgia já é possível. Homens e mulheres têm como idade ideal para cirurgia após os 18 anos, principalmente devido à maturidade e a questões legais. Antes dessa idade, os casos deve ser analisados individualmente.
  • Vou emagrecer fazendo lipo?
  • Emagrecer com lipo é um mito. O objetivo da lipoaspiração é melhorar o contorno corporal. Acentuar uma curva, realçar a cintura, retirar os excessos localizados. Realmente até ocorre alguma diminuição do peso corporal, mas não é o volume retirado que dá o resultado. Aliás, são as menores lipoaspirações que proporcionam resultados melhores. Quando o paciente está acima do seu peso, o ideal é perder uns quilinhos antes e, quando sobrar a gordura localizada¸ realizar a lipoaspiração. Grandes lipoaspirações trazem riscos maiores (veja abaixo em "riscos"). O Conselho Federal de Medicina estipulou em 7% do peso corporeo o volume máximo a ser lipoaspirado de uma só vez. (Ex: Se pesa 60kg, maximo: 4,2 litros).
  • Vou ficar roxa, inchada?
  • Por quanto tempo?Ficar roxa (equimose) e inchada (edema) é praticamente uma constante na lipoaspiração, variando em maior ou menor grau de acordo com o tamanho do procedimento. Em torno do 7º dia inicia-se regressão do inchaço, melhorando muito (em torno de 60%) até o 21º dia. Manchas roxas desaparecem antes.
  • A partir de quando vou poder ter vida normal?
  • Tomar sol? Academia?O retorno a vida normal depende do tamanho do procedimento. Em uma cirurgia média (abdome anterior e costas), em torno de 5 a 7 dias são suficientes para retornar à rotina, desde que não seja muito extenuante ou pesada. Alguns prazos estipulados para retorno às atividades (podem variar de acordo com a evolução): Tomar banho: dia seguinte; Dirigir: 5 dias; Trabalhar: 5 dias (ambiente fechado, pouca atividade fisica); Tomar sol: 60 dias (com roupa de banho. Não expor as cicatrizes por 6 meses, sob risco de cora-la definitivamente); Academia: Caminhada com 7 dias. Corridas com 21 dias. Musculação: 30 dias..
  • Qual a diferença entre hidrolipo, lipo-express, minilipo?
  • Essas denominações representam uma forma de tentar dizer que são "mini" ou "micro" e, com isso, menos arriscado. É uma jogada de marketing desonesta com o paciente. Há mais de 20 anos todas as lipoaspiraçãoes são "hidro". Lipoaspiração é cirurgia. Ponto. Existem algumas modificações quanto à diluição utilizada, forma de realização e extensão da lipoaspiração. No entanto, o principio básico é o mesmo. A cirurgia com anestesia local é, sim, segura, desde que em mãos treinadas, mas deve ser realizada em centro cirúrgico. Jamais em consultório! Não importa o tamanho da sua lipo. Sempre deve ser feita em hospital ou clínica que tenha centro cirúrgico apropriado, com equipamentos adequados para atender uma emergência. Existem clínicas especializadas em cirurgia plástica muito bem estruturadas, mas em um consultório (o nome já indica que deve ser realizado apenas "consultas") o risco de estar desamparada em casos de intercorrências é grande. Não vire manchete de jornal.
  • Lipoaspiração dura para sempre?
  • Absolutamente nada nesta vida é para sempre. Quem dirá uma cirurgia de contorno corporal. No entanto, o resultado não é transitório. Desde que siga mantendo bom peso corporal, pode, sim, manter o resultado por muitos e muitos anos. O adipócito (célula de gordura) aspirado não "nascerá de novo". Ele foi definitivamente eliminado. Mas, em casos de ganho de peso exagerado, as células restantes são suficientes para fazer "perder o resultado", jogando ladeira abaixo o resultado de um esforço e gastos feitos.
  • Qual a diferença entre lipoaspiração e lipoescultura?
  • Diz-se lipoescultura quando, além da lipoaspiração, a gordura retirada é recolocada (enxertada) em outros locais. Literalmente o corpo é "esculpido", pois se retira de onde sobra e se enxerta onde falta, caracterizando um trabalho de "escultura do corpo". Vale lembrar que o resultado da lipoescultura depende da "pega do enxerto". Sabemos que nem toda gordura reintroduzida é reintegrada ao organismo. Ou seja, parte da gordura injetada vai ser reabsorvida (persistirá em torno de 40 a 60% apenas). O mais comum é aspirar dos flancos e injetar nos glúteos. Lipoesculturas bem sucedidas promovem mudanças radicais no contorno corporal.
  • Ainda vou engravidar. É recomendado operar ou esperar?
  • Não existe uma "resposta certa" para essa questão. Existem considerações que devemos ponderar sobre riscos e benefícios. Sabe-se que acumulamos gordura de duas formas: as células gordurosas (adipócitos) crescem ou duplicam. A duplicação só ocorre em 2 fases da vida feminina: puberdade e gravidez. O crescimento (ou hipertrofia) da célula gordurosa ocorre a vida toda. Se realizada antes da gestação existe benefício teórico de diminuir as células de gordura que serão duplicadas na gestação, resultando em menor distensão de pele e menores consequências (menos estrias). Por outro lado, muitas precisam de um "retoque" após a gestação. Se a gestação está programada para perto, é melhor esperar.
  • Por que as pessoas morrem fazendo lipo?
  • Quais os riscos da cirurgia? É necessário UTI?As principais causas de óbito em lipoaspiração estão relacionadas à "embolia pulmonar" e "trauma direto da cânula em órgãos de dentro da barriga". A embolia pulmonar está diretamente relacionada ao tamanho da cirurgia e a fatores de risco como varizes, uso de hormônios, tabagismo. Quanto maior a cirurgia, maior o risco. A suspensão dos hormônios (anticoncepcionais, reposição hormonal pós-menopausa) é solicitada na maioria dos casos. Cigarro e cirurgia não combinam nunca. O CFM exige que o hospital tenha UTI e ambulância de referência em caso de necessidade, não sendo obrigatório o leito de UTI no hospital. Não é a UTI que salva a pessoa. São os profissionais treinados, em ambiente adequado e bom preparo para a cirurgia.
  • Qualquer médico pode fazer lipoaspiração?
  • O CFM não exige que o médico tenha título de especialista em Cirurgia Plástica para realizar cirurgias plásticas. No caso da lipoaspiração, exige-se que o médico tenha feito, no mínimo, 2 anos de residência em Cirurgia Geral. Infelizmente, vemos profissionais não preparados, treinados em "cursos de final de semana", realizando esse tipo de procedimento. O Cirurgião Plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica dedicou, no mínimo, 11 anos de esforço para sua formação. (São necessários 2 anos em Cirurgia Geral e 3 anos em Cirurgia Plástica, após os 6 anos do curso de graduação). Segundo dados do Conselho Regional de Medicina de São Paulo, 97% dos processos legais apontando possíveis "erros médicos" em cirurgia plástica eram respondidos por "não especialistas". Apenas 3% eram cirurgiões plásticos.
  • Quais os conselhos para quem pensa em fazer uma lipoaspiração?
  • Se você está acima do peso, tente aproximar-se do ideal. Tente imaginar também por que isso aconteceu e corrija a causa! Junto com a cirurgia, devem ser aliadas mudanças no estilo de vida, principalmente alimentação e atividade física. De nada adianta fazer lipo e continuar sedentário e comendo erradamente. Deve-se encarar a cirurgia como o começo de uma era de transformações com mudanças positivas não somente no âmbito estético, mas também no direcionamento para uma vida mais saudável em todos os sentidos. Um bom resultado cirúrgico associado a uma vida engajada na qualidade de vida, traz inegáveis e ótimos frutos.
  • Para qual tipo de paciente a lipoaspiração está indicada?
  • A paciente ideal apresenta peso adequado para sua altura e alterações de distribuição na gordura localizada com perda do contorno corporal, de forma que quanto mais tecido elástico possuir a pele, melhor o resultado.
  • A lipoaspiração pode ser feita em qualquer região do corpo?
  • A lipoaspiração não deve ser realizada em regiões de articulação e próximas de nervos, artérias e veias, além disso não é recomendado também em antebraços e panturrilhas. As outras regiões podem ser tratadas.
  • Que tipo de anestesia pode ser usada na lipoaspiração?
  • Que tipo de anestesia pode ser usada na lipoaspiração?Depende da superfície e da quantidade de gordura que será aspirada, dessa forma pequenos volumes podem ser tratados com anestesia peridural, já nas lipoaspirações maiores está indicada a anestesia geral.
  • Posso associar a lipoaspiração à outra cirurgia plástica??
  • Sim. É comum a associação da lipoaspiração com outros procedimentos, tais como prótese de mama e abdominoplastia.
  • Qual o tamanho das cicatrizes e onde ficam localizadas?
  • As cicatrizes são pequenas, cerca de 0,5 cm, geralmente em regiões escondidas nas roupas de banho. A utilização de protetores de pele durante o procedimento proporcionam cicatrizes de alta qualidade, quase imperceptíveis.
  • Pode-se utilizar cola no orifício (cicatriz) da lipoaspiração?
  • Sim. A utilização de cola cirúrgica é uma boa opção.
  • É necessário usar dreno?
  • Nas grandes lipoaspirações com retirada de grande quantidade de gordura pode ser necessário aplicá-lo.
  • Como é a evolução no pós-operatório?
  • Ao término da cirurgia o resultado do novo contorno do corpo já pode ser observado. Após algumas horas, inicia-se um processo inflamatório com inchaço que oculta o resultado. Durante as 3 primeiras semanas, com as drenagens linfáticas, muito deste inchaço desaparece podendo visualizar-se boa parte do resultado obtido. Com o decorrer das semanas, mais edema desaparece.
  • Existe alteração de sensibilidade no local operado?
  • É comum a diminuição da sensibilidade devido ao edema da região, mas é temporária.
  • Em quanto tempo podem ser retirados os pontos?
  • Em torno do 7º dia do pós-operatório.
  • É recomendável fazer drenagem linfática durante o pós-operatório?
  • Sim. A drenagem linfática é obrigatória porque diminui o inchaço e o desconforto após a cirurgia. Ela deve ser iniciada no 3º dia de pós-operatório, com frequência mínima de 3 sessões em dias alternados, podendo ser feita diariamente. Isto reduz muito a incidência de fibrose e retrações..
  • Por que é utilizado o ultrassom em conjunto com as drenagens no pós-operatório de lipoaspiração?
  • Além de apresentar ação anti-inflamatória, o ultrassom é aplicado para melhorar a cicatrização, diminuir o inchaço, ondulações e a absorção de gordura mais rapidamente.
  • Quanto tempo deve-se usar cinta modeladora no pós-operatório?
  • Cerca de 2 meses porque reduz a incidência de irregularidades, edema e fibroses.
  • O que é minilipo, lipolight e hidrolipo?
  • Estes procedimentos são sinônimos e nada mais são que uma lipoaspiração convencional realizada por segmentos corporais, geralmente feita em clínicas e com anestesia local. São marcadas várias sessões semanais com tratamento das diversas regiões por partes, aspirando uma quantidade de gordura pequena em cada sessão. Estes procedimentos não são realizados em nossa clínica por acreditarmos que a lipoaspiração, independente do porte, deve ser feita em ambiente hospitalar com a presença de anestesista e suporte adequado para qualquer intercorrência. Optando pela técnica adequada e com máxima segurança, médico e paciente obtêm um resultado harmonioso e bonito que traz de volta a autoestima e o bem-estar. O sucesso e a segurança do procedimento dependem muito de sua sinceridade durante a consulta. Você será questionado sobre sua saúde, desejos e estilo de vida.

  • GINECOMASTIA


    Excesso de gordura e/ou tecido mamário, conhecido como ginecomastia, é uma condição comum que afeta quase metade dos homens. Embora tipicamente não cause problemas de saúde, a ginecomastia é freqüentemente constrangedora e pode até ser dolorosa. A causa específica não é conhecida, mas pode resultar de diminuição de hormônios masculinos, aumento da gordura corporal ou como conseqüência do uso de medicações ou certas doenças.
    A cirurgia de ginecomastia pode ser feita através de duas técnicas diferentes, dependendo de cada caso. Para pacientes com aumento da glândula mamária a cirurgia de excisão é a melhor alternativa, sendo removido o excesso de tecido por uma incisão na borda inferior da aréola. Para pacientes com excesso de gordura a melhor opção é a lipoaspiraçao, que remove gordura através de pequenas incisões na aréola ou axila. Frequentemente os dois componentes (glândula e gordura) estão presentes e nestes casos é necessário associar a retirada de glândula com a lipoaspiração da região peitoral.
    Ginecomastia é o termo utilizado para descrever a presença de mamas femininas no homem. Se você não estiver satisfeito com o seu corpo, não se preocupe, existe uma solução para o problema. O importante é estar de bem com a vida!
    RESULTADOS
    O edema formado no local é reabsorvido substancialmente até o término do primeiro mês. Após este período, as mamas apresentam um resultado bem próximo do final, de modo que em seis meses os resultados são definitivos. Uma atividade física do tipo musculação, direcionada para os peitorais, contribui muito para um melhor resultado. Desta forma, mantenha-se sempre saudável porque, caso haja aumento de peso, as mamas podem crescer novamente devido ao excesso de gordura. A operação traz benefícios que incluem um peito firme e simétrico, conquistas que aumentam muito a autoconfiança.

  • A cirurgia de correção de ginecomastia deixa cicatrizes?
  • Sim, na transição entre a pele e a aréola. São cicatrizes que, após o término do amadurecimento, tornam-se finas e discretas.
  • Ouvi dizer que alguns pacientes ficam com cicatrizes muito visíveis. Por que isso acontece?
  • Certos pacientes apresentam tendência à cicatrização hipertrófica ou ao quelóide. Esta tendência é avaliada durante a consulta inicial, quando é feita uma investigação detalhada abordando aspectos pessoais e familiares sobre o problema.
  • Existe correção para cicatrizes hipertróficas e quelóides?
  • Sim, existem vários recursos clínicos e cirúrgicos que nos permitem melhorar cicatrizes inestéticas. Desta forma, o acompanhamento no período após a cirurgia é fundamental para que possamos detectar alterações cicatriciais e atuar precocemente em seu tratamento..
  • Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?
  • Somente entre o 4º e 6º mês é que as mamas atingirão sua forma definitiva
  • Existe risco de complicações nesta cirurgia?
  • Sim, toda cirurgia apresenta riscos. No entanto, raramente a cirurgia plástica de correção da ginecomastia sofre complicações sérias. Isto se deve ao fato de controlarmos os riscos e de ser uma cirurgia de pequeno a médio porte em que não há manipulação de nenhum órgão vital. A complicação mais frequente desta cirurgia é o seroma (acúmulo de líquido na região operada). Sangramentos e infecções também podem ocorrer.
  • O pós-operatório da cirurgia mamária é doloroso?
  • Geralmente não. Para casos de pacientes com mais sensibilidade, utilizamos analgésicos simples para controlar a dor.
  • São utilizados drenos?
  • Devido aos grandes descolamentos realizados na cirurgia, a produção de líquidos aumenta, deste modo, é necessário utilizar drenos para evitar que estes líquidos se acumulem. Em casos menores, podemos abrir mão do dreno.
  • São utilizados curativos?
  • Sim. Curativos especiais com rayon, gaze e micropore são utilizados nos primeiros 3 dias. Após este período, é recomendado utilizar hidratantes na região e, após a retirada dos pontos, massagem local.
  • Quando tomarei banho completo?
  • Geralmente 24 a 48 horas após a cirurgia.10Quando são retirados os pontos?
  • Quando são retirados os pontos?
  • Os pontos começam a ser retirados com 7 dias
  • Quando poderei retomar os exercícios físicos?
  • Exercícios, tipo caminhada e esteira, podem ser iniciados após 10 dias. As atividades de musculação que envolvam o peitoral, somente 45 dias após a cirurgia.

  • MAMILOS E ARÉOLAS


    As aréolas e os mamilos são estruturas estéticas fundamentais para mulheres e homens. Boa parte da beleza das mamas concentra-se neles, por isso toda vez que estamos diante de alterações e deformidades nessas estruturas, os danos são muito sérios e em muitas ocasiões há comprometimento psicológico suficiente para fazer com que a pessoa tenha vergonha de se expor.
    Nas mulheres, devido às características genéticas e hormonais, as aréolas podem crescer demasiadamente na adolescência ou após a amamentação. Além disso, pode ocorrer aumento excessivo do bico ou a sua inversão.
    No caso dos homens, comumente a cirurgia está relacionada à ginecomastia (aumento das mamas masculinas). Desta forma, a correção dos bicos é muito importante nesses casos, porque os pacientes passam a limitar suas atividades em decorrência da insatisfação com esta parte do corpo, tendo vergonha, até mesmo, de tirar a camisa durante uma prática desportiva.
    Independente de qualquer coisa, uma avaliação com o seu cirurgião é o melhor começo para um tratamento bem sucedido, já que uma aréola e mamilos bem posicionados e sem alterações são fundamentais para uma bela mama.


    MAMOPLASTIA DE AUMENTO


    IMPLANTES MAMÁRIOS OU PRÓTESES MAMÁRIAS DE SILICONE
    O desejo de toda mulher brasileira é ter seios fartos, rijos e sensuais. A cirurgia para aumentar as mamas com uso de próteses de silicone tornou-se prática comum e muito natural porque deixou de ser tratada como tabu e passou a transcender o simples aspecto estético.
    Desde o boom do silicone no Brasil, em meados dos anos 90, a mulher brasileira vem se preocupando cada vez mais em exibir seios bonitos e volumosos, fazendo com que o bumbum, que é preferência nacional, dispute espaço com as mamas de igual para igual. De qualquer modo, seja lá qual for o motivo de colocar a prótese de silicone, isso não é mais um símbolo que provoque preconceito ou sugira vulgaridade.
    Em 2009, uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica revelou que foram realizadas no País aproximadamente 645.000 cirurgias plásticas, sendo que 19% foram de mulheres que aderiram ao implante mamário. Entretanto, não se sabe o número exato de mulheres que possuem prótese de silicone, mas estima-se que no mundo cerca de dez milhões fazem uso dela.
    Sabe-se que a inclusão da prótese de silicone não aumenta o risco de câncer, nem tampouco promove o desenvolvimento de doenças autoimunes como se pensava antigamente. Além disso, com a evolução das técnicas de exames de imagem para o rastreamento do câncer de mama, sabemos hoje que a presença da prótese não influencia no seu diagnóstico, assim como outras doenças mamárias. Além disso, a qualidade dos materiais empregados nas próteses aumentou muito, o que provocou um aumento significativo na sua durabilidade.
    A Mamoplastia de Aumento, através da inclusão de prótese de silicone, tem como resultado uma melhor harmonia entre a forma e o volume dos seios. É uma das cirurgias plásticas estéticas mais famosas no mundo e conta com várias técnicas e tipos de próteses. Há sempre uma opção de melhorar seus seios de acordo com seu biótipo! Ser uma mulher mais feliz e sensual só depende de você!
    Quem recorre a esta cirurgia, geralmente sofre de hipoplasia mamária, ou seja, possui seios pequenos em relação ao restante do corpo. É comum o problema apresentar-se somente após a adolescência em muitas mulheres. Porém, pode surgir a qualquer tempo após um regime severo ou uma gravidez (involução mamária pós-gravídica) e, nestes casos, a hipoplasia geralmente vem acompanhada de flacidez de pele na região. Deste modo, nos casos de mamas pequenas com excesso de pele recorremos ao lifting de mamas com inclusão de prótese.
    Marque sua consulta e saiba mais sobre cada detalhe desta cirurgia. Se você não estiver satisfeita com o seu corpo, mude! Ser uma mulher mais feliz e sensual só depende de você.

  • Como ficarão minhas mamas após a cirurgia?
  • O tamanho das mamas depende do volume da prótese de silicone a ser colocada, do volume de mama já existente e do tamanho do tórax. Por exemplo, uma paciente com mama muito pequena, ao colocar uma prótese de 300 ml, poderá ficar com a mama menor do que outra paciente, que já apresentava mamas grandes e que colocou 240 ml. De qualquer forma, o importante é manter a harmonia no resultado final.
  • Posso colocar qualquer tipo de prótese de silicone?
  • Não. A forma e o tamanho devem ser proporcionais ao volume da mama, tamanho do tórax e ao biótipo da paciente. Assim, esta escolha deve ser feita em conjunto com seu médico no pré-operatório após uma avaliação detalhada, só assim podemos indicar qual o melhor tamanho e forma de prótese para o seu caso.
  • A gravidez altera o resultado da cirurgia?
  • A prótese não sofre alteração porque está localizada atrás da mama. O que pode ocorrer é um aumento da mama devido à lactação (produção de leite) com distensão da pele e esta não retornar ao estado inicial, ocorrendo uma leve flacidez local.
  • Posso amamentar com a prótese de mama?
  • Sim. A prótese não altera a amamentação, uma vez que é colocada atrás da glândula mamária.
  • Qual o tamanho das cicatrizes e onde ficam localizadas?
  • Geralmente são cicatrizes pequenas, em torno de 5 cm, localizadas em regiões ocultas como sulco mamário, aréola e axila.
  • As cicatrizes podem não ficar de bom aspecto?
  • A cicatrização depende de vários fatores, como: genética, tipo de pele, localização da cicatriz e a técnica utilizada. Pacientes com pele clara possuem tendência à cicatrização de melhor qualidade. Porém, os pacientes de pele negra ou amarela (asiáticos) têm tendência a uma cicatrização de menor qualidade, com tendência a quelóides. Na avaliação pré-operatória, levam-se em consideração os antecedentes genéticos e observam-se outras cicatrizes no corpo da paciente para se ter uma ideia de como é a cicatrização.
  • As cicatrizes hipertróficas e quelóides têm solução?
  • Existem vários recursos que podem melhorar as cicatrizes hipertróficas e os quelóides. A melhor opção de tratamento deve ser avaliada por seu médico no momento adequado, sempre respeitando as fases da cicatrização..
  • A flacidez de pele pode ser corrigida com a prótese de silicone?
  • Sim. Apenas nos casos em que a flacidez de pele é pequena e não há alteração prévia na forma da mama.
  • Posso associar a cirurgia de aumento de mama a outras cirurgias?
  • Sim. Pode ser associada à lipoaspiração, abdominoplastia e outras. A opção pela associação de cirurgias deve ser feita em conjunto com seu médico e depende de uma criteriosa avaliação pré-operatória. Recomendamos a leitura dos textos sobre estas.
  • Em quanto tempo podem ser retirados os pontos?
  • Geralmente, são utilizados fios que não necessitam ser retirados porque são absorvidos pelo organismo da paciente, porém, quando é necessário utilizar fios não absorvíveis, eles podem ser retirados em torno do 7º dia do pós-operatório.
  • É necessário usar dreno?
  • Quando são utilizados, os drenos servem para evitar o acúmulo de secreção no local e são retirados, geralmente, 24 horas após a cirurgia.
  • Há muita dor no pós-operatório de implante de prótese?
  • A queixa de dor varia de paciente para paciente. Normalmente, há uma sensação de “peso” no local, porém, a utilização de anti-inflamatórios e analgésicos tornam o pós-operatório bastante confortável.
  • Existe alteração de sensibilidade no local operado?
  • É comum a diminuição da sensibilidade no local devido ao inchaço da região, mas, na maioria das pessoas, a sensibilidade volta gradativamente ao normal.
  • Quando poderei fazer exercícios físicos?
  • Na maior parte dos casos, em 30 dias podem-se iniciar os exercícios leves e, em 60 dias, os pesados.
  • O que é contratura capsular de mama?
  • É quando o corpo produz uma reação inflamatória exagerada ao redor da prótese formando uma cápsula. A formação de uma cápsula ocorre de forma natural em todos os casos. Porém, quando esta cápsula começa a comprimir a prótese, dá-se o nome de contratura capsular. Algumas pacientes podem permanecer assintomáticas, enquanto outras apresentam endurecimento, alteração da forma e dor local, dependendo do grau da contratura. Caso isto ocorra, a prótese deverá ser trocada.
  • Preciso trocar a prótese de silicone?
  • Atualmente, as próteses de silicone somente são trocadas caso haja algum problema durante a evolução do pós-operatório.
  • A prótese tem garantia?
  • As próteses usadas atualmente possuem garantia vitalícia, isto é, para toda a vida. Caso ocorra algum problema, você terá direito a uma nova prótese.
  • Quando verei o resultado final da cirurgia plástica de implante de prótese de silicone?
  • Em média, com 30 dias a mama apresenta um resultado satisfatório, mas, somente após 4 a 6 meses, suas mamas apresentarão resultado definitivo.
  • Onde ficam as cicatrizes?
  • Existem 4 maneiras de colocar o implante mamário: Sulco abaixo da mama (inframamário): Talvez seja a via mais utilizada devido a praticidade, baixo risco e bons resultados. Essa cicatriz é facilmente camuflável e esteticamente aceitável. Pela aréola (Periareolar | "Bico da mama"): É necessário ter um tamanho de aréola compatível (algumas tem aréola muito pequena e não comportam essa cirurgia). Nesses casos pode ser programado ajuste do tamanho da aréola, diminuindo-a ou regularizando-a. Esse modo deve ser evitado em pacientes que desejam amamentar no futuro, devido ao risco teórico de prejuízo na lactação. (Na prática, nem sempre ocorre. É a opinião do autor, não havendo um consenso na literatura médica a respeito). É uma técnica segura e promove ótimos resultados. Pela axila (Via axilar): Algumas pessoas têm dificuldade em imaginar como é possível colocar a prótese de mama com corte na axila, mas é perfeitamente possível. Existe certo receio, por parte de alguns médicos, em usar essa via devido ao risco teórico de, caso a paciente desenvolva câncer de mama no futuro, atrapalhar o tratamento do mesmo. Estudos mais recentes dizem que não há problema em usar essa via. Vale reforçar que prótese de mama não causa câncer de mama. Via abdominal: Essa via é a menos utilizada pela dificuldade, e poucas pessoas são candidatas. Pacientes com flacidez abdominal que irão se submeter à plástica de abdome e querem ao mesmo tempo aumentar o volume mamário, podem se beneficiar dessa técnica. Nesse caso não há cicatriz nenhuma nas mamas, sendo que a prótese é colocada pela incisão do abdome. Converse com seu médico a respeito dessa cirurgia!
  • A partir de quantos anos posso realizar essa cirurgia?
  • Para realizar esse procedimento é necessário ter o desenvolvimento mamário completo. Isso ocorre 2 a 4 anos após a primeira menstruação.
  • Quais os tipos de prótese de silicone posso usar?
  • Um grande avanço ocorreu na qualidade dos implantes mamários nos últimos anos. Os implantes têm diversas formas e revestimentos. O silicone é bastante seguro para uso médico. As próteses são de gel de silicone coeso, revestidas de diversas formas (lisa, texturizada ou poliuretano). Quanto ao formato, podem ser redondas ou ovais; também variam quanto à projeção (baixa, media ou alta projeção)
  • Em que posição fica a prótese?
  • Existem 3 opções para locar o implante. O mais comum é logo abaixo da glândula (subglandular ou retroglandular). Outra opção é abaixo da fáscia do músculo peitoral maior (fascia é uma "capa protetora rígida sobre o músculo"). Por último, e não menos importante, é o plano submuscular ou retromuscular: o implante fica atrás do músculo peitoral maior. Essas opções variam de acordo com cada caso e com a opção e experiência de cada profissional. Converse com seu médico.
  • Vou poder amamentar futuramente?
  • Como o implante é colocado atrás da glândula, esta é mantida íntegra. Não há, portanto, dificuldades para amamentar. No entanto, como a medicina não é uma ciência exata, há casos em que pacientes relatam certa dificuldade na amamentação. Convém ressaltar que pacientes que ainda vão ter filhos devem evitar, se possível, colocar o implante pela aréola, devido ao risco maior de lesar os ductos da lactação (opinião do autor). Em geral não há qualquer prejuízo na lactação. São bem diferentes os casos onde há, além da colocação do implante, a retirada da flacidez da pele, resultando em cicatrizes maiores e maior risco de prejuízo na lactação.
  • É verdade que a prótese tem prazo de validade de 10 anos?
  • Dez anos é, realmente, muito tempo. Esse tempo é considerado ainda a vida útil do implante. No entanto, devido a grandes avanços tecnológicos, observamos, com grande frequência, implantes com mais de 10 anos, sem nenhuma alteração. Nesses casos recomenda-se apenas acompanhamento. O que ocorre muitas vezes é, após 10 anos, alguma alteração corporal que necessite de cirurgia complementar (ex: flacidez das mamas). Realmente difícil imaginar que nada vai mudar em 10 anos, não??? Ninguém é de ferro...
  • Prótese de silicone causa câncer ou outras doenças?
  • Já está mais do que provado que o implante não causa câncer de mama. A relação com outras doenças também nunca foi definitivamente comprovada. Aliás, a única relação talvez existente, seja que a paciente com prótese se torne mais rigorosa quanto aos exames, detectando lesões tumorais em estagios até mais iniciais. Tal informação ainda carece de comprovação cientifica, mas faz todo sentido. Prótese de silicone não causa câncer.
  • Prótese de mama atrapalha a realização de mamografia e outros exames preventivos da mama?
  • Os exames preventivos da mama são realizados da maneira usual. As técnicas de mamografia foram aprimoradas e adaptadas para essa nova realidade. Lesões suspeitas, assim como o estado da prótese são muito bem avaliadas pela ressonância magnética. A prevenção e detecção precoce de doenças mamárias não serão afetadas pela prótese.
  • Em quanto tempo posso esperar o resultado definitivo?
  • É muito importante ter paciência no pós- operatório. O resultado pode ser considerado definitivo, após 6 meses. No entanto, alterações na cor da cicatriz (clareamento), alterações de sensibilidade da mama e outras podem ainda requerer mais tempo para melhorar. Não compare o seu resultado e sua evolução com a da amiga. Nem tampouco fique ansiosa com comentários do tipo: "o de fulana não foi assim". Cada pessoa é uma entidade única e responde de maneira diferente a procedimentos diferentes. Tenha paciência e tire suas duvidas apenas com seu médico.
  • Quais os cuidados no pós-operatório?
  • Muito importante observar as restrições que serão impostas, que, aliás, não são muitas. O mais importante é evitar movimentos muito amplos com os braços, não pegar peso e usar o sutiã cirúrgico religiosamente.
  • Tenho as mamas muito "afastadas" e gostaria que ficassem "juntinhas". O silicone faz isso?
  • A resposta é: "Parcialmente". O resultado dessa cirurgia depende bastante da estrutura da paciente. Mamas "lateralizadas" ou "afastadas" não sofrem mudanças muito radicais. Nesses casos, usamos próteses com base mais larga e projeção mais baixa, tentando minimizar esse quadro. Não corrige totalmente.
  • Quais os riscos da cirurgia de implante mamário?
  • Apesar de ser considerada uma cirurgia limpa, de baixo risco e bons resultados, não estamos totalmente isentos de complicações e evoluções desfavoráveis. Nenhum procedimento cirúrgico é isento de riscos. Citaremos abaixo as complicações mais comuns (apesar de raras!) Infecção: Toda vez que a integridade da pele é quebrada, existe o risco teórico de germes ali crescerem. Rigorosos cuidados de assepsia são sempre tomados. No entanto, apesar de muito raros, existem casos de infecção na ferida cirúrgica e no implante. Em geral os implantes devem ser removidos e recolocados após tratamento específico. Hematoma: Acúmulo de sangue ao redor do implante. Quando volumoso, é necessário reoperação para limpeza, pois existe alto risco de evoluir para contratura capsular. (contratura: veja abaixo) Seroma: Acúmulo de líquido claro, não sanguinolento ao redor do implante. É uma reação que pode até ser considerada normal, dependendo da quantidade. Na maioria das vezes, requer apenas observação e seguimento de rotina. Resolve-se com o tempo. Assimetrias: Quase todas as mulheres têm mamas assimétricas, em maior ou menor grau. É esperado que algum grau de assimetria (pouco perceptível na maioria) persista. No entanto, por fatores como falta de repouso no pós-operatório, planejamento cirúrgico insuficiente ou alterações anatômicas individuais, podem ocorrer assimetrias mais perceptíveis. Todo cirurgião plástico está habilitado para prevenir e tratar tais resultados indesejados. Cicatriz inestética: A cicatrização é um fenômeno ainda não completamente entendido pelo homem. Conhecemos as regiões, formas de incisão, locais de incisão e biotipoque evoluem com maior ou menor risco de cicatriz inestética. No entanto não as controlamos. Cicatriz fininha, lisa, pouco perceptível, camuflável por roupas de banhos e vestimentas íntimas é o nosso objetivo maior! Infelizmente, sabemos que não ocorre em todos os pacientes. Alguns fatores influenciam a evolução cicatricial: repouso após a cirurgia, raça (negros e asiáticos tem maior risco de evolução desfavorável), local da cicatriz, tensão na área operada, dentre outros. Converse com seu médico sobre o melhor local para posicionar sua cicatriz. O termo "queloide" é erroneamente utilizado por leigos para definir qualquer cicatriz inestética. Esta condição médica ocorre em áreas traumatizadas (por cirurgia, queimadura ou outro trauma) onde há crescimento de tecido cicatricial de forma exuberante e desordenada, extrapolando muito as margens da incisão, A maioria são "cicatrizes hipertróficas" que, apesar de "altas" e "duras" sempre respeitam as margens da incisão, não crescendo além das mesmas. O tratamento de ambas é muito diferente. Contratura capsular: Formação de uma cápsula ao redor do implante que, em maior ou menor grau, deforma o implante e pode tornar-se visível ou causar desconforto. Em geral desenvolvem-se mais tardiamente. Não se sabe ao certo a causa desse desfecho desagradável. Graus leves podem ser apenas acompanhados e casos mais avançados necessitam troca do implante e troca da posição do mesmo. Ocorria muito frequentemente com as próteses lisas. Hoje elas são pouco usadas. A melhora tecnológica significativa dos materiais em uso diminuíram muito este problema, mas o extinguiu. Risco anestésico: A anestesia evoluiu impressionantemente nos últimos anos. No entanto, longe estamos de afirmar que é ISENTA de riscos. Os riscos são muito baixos, principalmente se realizada por profissionais experientes e em ambiente preparado para identificar e tratar uma complicação anestésica. A máquina não substitui o homem.
  • Minha amiga fez e ficou ótimo! Vai ser assim para mim também?
  • São muitas as pacientes que chegam com imagens (ao menos na mente) de resultados de outras pessoas, já com o volume da prótese decidido, baseadas na opinião de colegas. Esse é um erro muito comum, pois, para avaliar o resultado final e volume a ser implantado, fatores como amamentação prévia, volume mamário anterior, porte físico, espessura da pele e dimensões do tórax devem ser considerados. Outros fatores como tipo de pele, estrias, substituição da glândula por gordura e cuidados no pós-operatório são determinantes no resultado final. Por isso, tenha sempre em mente o que repetimos incansavelmente: "cada caso é um caso" e somente a experiência do profissional, aliada a uma conversa detalhada com a paciente, podem conciliar o sonho da mesma com a ciência do cirurgião..

  • MAMOPLASTIA REDUTORA


    CIRURGIA MAMÁRIA REDUTORA
    A mamoplastia é a cirurgia que pode tanto diminuir o tamanho das mamas, tornando-as menores e mais firmes, quanto suspender mamas que apresentem queda pela idade, gravidez, emagrecimento, etc.
    A mamoplastia redutora envolve a retirada de tecido mamário em excesso, composto por glândulas e gordura, além de ajustar a pele e aréolas ao novo volume das mamas.
    A mastopexia reposiciona as mamas para suspendê-las, podendo ser acompanhadas da colocação de próteses de silicone.
    O procedimento pode ser associado a lipoaspiração das mamas e axilas para aprimorar os resultados. A cirurgia toda dura de 3 a 4 horas e sutiãs pós operatórios são usados para garantir bons resultados e auxiliar na recuperação.

  • A cirurgia de mamoplastia é arriscada?
  • A incidência de complicações em cirurgia plástica de mama é muito rara. Uma avaliação criteriosa, indicando o procedimento somente em pacientes sadias ou com doenças controladas, reduz muito as complicações.
  • As cicatrizes são visíveis?
  • Ficam localizadas ao redor das aréolas, entre elas e o sulco e no sulco mamário constituindo um T invertido. Inicialmente vermelhas e escuras, vão clareando com os meses, tornando-se finas e claras após cerca de 1 ano. De modo que todas as cicatrizes fiquem dentro da área coberta pelo biquíni ou soutien.
  • Como ficarão minhas mamas no pós-operatório?
  • Quais serão as mudanças?O volume será definido de forma a manter a harmonia do corpo, podendo optar por mamas um pouco mais fartas ou menores. Além disso, elas serão menos flácidas, mais rijas e elevadas, melhorando o aspecto dos colos e dos bicos.
  • A gravidez compromete o resultado da cirurgia plástica?
  • Com a gestação, há um aumento do volume das mamas devido à produção de leite. Dependendo da qualidade da pele da paciente, pode ocorrer uma pequena queda, mas na maioria das vezes, o resultado não fica comprometido.
  • São utilizados drenos?
  • Devido aos grandes descolamentos realizados na cirurgia, a produção de líquidos fica aumentada, deste modo, é necessário utilizar drenos para evitar que estes líquidos se acumulem. Em casos menores podemos abrir mão do dreno.
  • O pós-operatório é doloroso?
  • Não. Na maioria dos casos o uso de analgésicos e anti-inflamatórios torna o pós-operatório confortável.
  • Quanto tempo depois da cirurgia posso tomar banho completo?
  • O ideal é depois de 24 horas.
  • Após quantos dias os pontos podem ser retirados?
  • Geralmente, os pontos começam a ser retirados com 7 dias. Nas visitas seguintes, os pontos continuam sendo retirados até a 3ª semana.
  • Quando posso voltar a trabalhar e praticar exercícios?
  • Em profissões que não exigem esforços, como atividades administrativas, o retorno é liberado com 10 a 14 dias. Já em atividades sem esforços físicos, os exercícios são liberados com 2 semanas. Além disso, atividades aeróbicas, tipo caminhada, com 30 dias e atividades que exigem esforços, como academia, com 2 meses.
  • A partir de que idade posso reduzir minhas mamas?
  • A redução mamária pode ser realizada a partir do desenvolvimento completo das mamas , após a puberdade. Em geral, a cirurgia pode ser realizada 4 anos após a primeira menstruação.
  • Esta cirurgia deixa cicatrizes?
  • Que tipo de roupas de banho e sutiã poderei usar?Costumamos afirmar que a cicatriz é proporcional ao tamanho (grau de hipertrofia) e quão "caída" é a mama (grau de ptose). Na maioria das vezes, a cicatriz resultante é em forma de "T" invertido. Em alguns casos, não é necessária a cicatriz no sulco mamário (dobra mamária inferior), resultando em cicatriz em forma de "I". Essas cicatrizes são para sempre, mas serão facilmente escondidas por biquínis ou sutiãs. Não existe milagre, é uma troca. Troca-se uma mama volumosa e, talvez caída, por uma mama menor, com cicatriz. Após alguns meses (em geral após o 7º mês), as cicatrizes tendem a ficar mais claras e finas, mas sempre estarão lá.
  • Posso ter alterações de sensibilidade após a cirurgia?
  • Sim. Alterações da sensibilidade são comuns, principalmente na parte baixa da mama, ao redor da aréola (bico da mama) e próximo às cicatrizes. Na maioria das vezes, essas alterações são transitórias, melhorando em geral após o 1º ano da cirurgia. Algumas, no entanto, são permanentes (coceira, sensação de "amortecida" e pequenos "formigamentos"). A maioria dessas alterações não incomodam, tampouco prejudicam ou desabonam o resultado final da cirurgia. O que observamos na prática é que a maioria das pacientes não se importa com os pequenos detalhes, haja vista o benefício adquirido.
  • Tenho as mamas com formato e tamanho diferentes. Vai corrigir?
  • Somos, na realidade, totalmente assimétricos. Uma sobrancelha mais alta, um ombro mais baixo, etc. Quase todas as mulheres têm algum grau de assimetria mamária. Em algumas, no entanto, é muito visível. É praticamente impossível alcançar a perfeição, mas é perfeitamente plausível deixá-las com um pequeno grau de assimetria, digamos, "aceitável". Em geral, a melhora é significativa e o nível de satisfação é muito bom.
  • Poderei ainda amamentar?
  • A mamoplastia redutora mobiliza amplamente a glândula mamária e a aréola. Lesões nos ductos que carregam o leite ocorrem e pode prejudicar a lactação. Se você tem intenção de engravidar no futuro, converse com seu médico a respeito. Existem técnicas que podem ajudá-la. Mas tenha em mente que, por melhor que seja a técnica, essa cirurgia pode prejudicar a lactação.
  • Como fica o acompanhamento preventivo de doenças da mama após a cirurgia?
  • A rotina de prevenção de doenças mamárias continua (e deve ser continuada) normalmente. Nada mudará. Importante ressaltar que não existe associação entre a cirurgia e aumento de câncer de mama.
  • Posso me arrepender de diminuir demais a mama?
  • Tem solução? Observamos que, assim como os costumes e as vestimentas mudam com o passar das gerações, o conceito de "belo" também pode sofrer algumas alterações. Até a década de 80 e inicio dos anos 90, o padrão de beleza das mamas era serem "um pouco menores". Assim, mamas, hoje consideradas "bonitas", talvez fossem grandes para os padrões da época. Percebemos que muitas pacientes, que fizeram redução mamária na época, hoje, consideram-nas pequenas demais. É óbvio que o tempo passado também foi responsável por certo grau de atrofia mamária. Essas pacientes hoje recorrem ao implante de silicone, sem maiores problemas.
  • E se as mamas ainda ficarem grandes após a cirurgia, posso diminuir ainda mais?
  • O abalo psicológico resultante da convivência de anos a fio com um "trauma", pode levar a paciente a tentar "corrigir demais o problema". Algumas não ficam satisfeitas com "mamas de tamanho normal" e querem reduzir ainda mais. Essa cirurgia é possível, mas desagradável para ambas as partes. A melhor maneira de evitar isso é um bom diálogo antes da cirurgia.
  • Como fica o formato e a consistência da nova mama?Vai ficar "mais durinha"?
  • Ficar "mais durinha" vai depender da técnica utilizada e, principalmente, quantidade de glândula ainda existente. Sabemos que, com o passar dos anos, ocorre a transformação da glândula mamaria em gordura (liposubstituição). Sabe-se que a gordura não dá boa consistência à mama. Logo após a cirurgia, a mama fica sim "mais consistente". Quanto tempo vai ficar assim vai depender mais das características individuais do que da técnica
  • Posso associar com outras cirurgias?Operar a mama e abdome ao mesmo tempo?
  • Se você realiza duas cirurgias ao mesmo tempo, soma-se o risco de duas cirurgias. Como são procedimentos de baixo risco, na maioria das vezes vale à pena. Porém, não é recomendável cirurgias muito longas, pois os riscos tornam-se inaceitavelmente altos. É comum hoje a pressão por "retornar logo ao trabalho":"tenho só estas férias para resolver este problema", "não quero gastar duas vezes com hospital" ou "quero resolver tudo de uma vez". Cirurgias combinadas exigem mais do profissional e da equipe. Converse com seu médico a respeito. Seja prudente. Você está prestes a realizar um sonho, não dê margem à fatalidade.
  • Dói muito o pós-operatório?
  • Não. Existe certo desconforto, principalmente pelas restrições que impomos durante a recuperação. Dor não é um sintoma referido nessa cirurgia.
  • Como são feitos os curativos e a retirada dos pontos?
  • A maioria dos pontos utilizados são absorvíveis, não necessitando de retirada. O restante é retirado com 7 dias ou mais, dependendo da evolução. Logo após a cirurgia, durando um período de 3 a 4 semanas, usamos curativos com micropore® para "tirar a tensão dos pontos", evitando abertura e alargamento das cicatrizes. É essencial o zelo e cuidado com sua cirurgia.
  • Quais os riscos dessa cirurgia?
  • Sempre reforçamos que nenhum procedimento é isento de risco. A medicina não é uma ciência exata, nem todos os fatores podem ser controlados. Trata-se de uma cirurgia de muito baixo risco, mas é importante estar com boa saúde, relatar com detalhes as medicações que usa e os tratamentos anteriores. Em relação aos riscos específicos desse procedimento, podemos destacar: Complicações cicatriciais: Cicatriz irregular, "tortuosa", larga ou "alta" pode ocorrer. A maioria é designada "cicatriz hipertrófica". São mais propensos a desenvolver esse tipo de complicação os descendentes de orientais e afrodescendentes. Queloide: Quando há crescimento exagerado de tecido fibroso ao redor da cicatriz. Esse fator depende da genética do paciente. Hematoma: Acúmulo de sangue na área operada. Na maioria das vezes requer apenas observação cuidadosa. Esse acontecimento é muito raro. Infecção: Toda incisão cirúrgica é uma porta aberta para germes. O cuidado com a higiene é fundamental. Mesmo assim, ainda não estamos isentos deste risco. O diagnóstico precoce e tratamento adequado fazem a diferença para que não haja prejuízo no resultado estético. Abertura dos pontos (deiscência dos pontos): Esse evento desagradável pode ocorrer em qualquer cirurgia e é mais comum na zona de maior tensão (encontro das cicatrizes). Porém, é muito relacionado ao repouso dos braços no pós-operatório. Ao abrir os braços com movimentos muito amplos, a tensão será transmitida diretamente à cicatriz. Com cuidado adequado e boa técnica, é pouco comum.
  • Quanto tempo terei que me ausentar do trabalho?
  • E das atividades físicas?Apesar de não ser dolorosa, é uma cirurgia que exige bastante cuidado no pós-peratório, principalmente em relação ao uso dos braços. Atividades com movimentos muito amplos dos braços devem ser evitadas por pelo menos 21 dias. O retorno ao trabalho pode ocorrer em 10 a 14 dias, desde que respeitando as limitações impostas aos movimentos (não pegar peso, evitar pegar crianças no colo, não afastar demais os braços do corpo, etc.). Atividades como caminhada leve, após 2 semanas. Atividades de musculação e academia, somente após 45 a 60 dias.
  • Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?
  • O formato inicial, apesar de certo alívio no peso em caso de mamas grandes, não é natural. Assimetrias, irregularidades, manchas roxas podem ocorrer com certa frequência logo no início. É necessário muita paciência até esse período passar. Querer que o resultado apareça antes do tempo só gera ansiedade e insatisfação. Após 21 dias, o inchaço já está bem menor. Mas somente após 4 a 6 meses teremos uma forma mais natural. As cicatrizes passarão por vários estágios de amadurecimento também, passando a ficar mais escuras e "grossas" nos primeiros meses, tendendo a clarear após o sétimo mês. Com muita calma e paciência chegará ao resultado almejado.

  • MASTOPEXIA (LIFTING DE MAMAS)


    A mulher está cada dia mais cuidadosa e exigente com seu corpo. Em se tratando das mamas então, nem se fala. Isto porque os seios são peças-chave para ela e concentram em si grande parte de sua feminilidade. Desta forma, toda vez que algo vai mal nesta parte do corpo, a autoestima vai junto. Após os 35 anos de idade ou após algumas gestações, as mamas costumam cair ou perder a consistência. Isto compromete muito a qualidade de vida e estamos diante de um “ataque direto” à segurança e ao bem-estar feminino.
    As mamas possuem uma consistência rígida quando jovens devido à grande quantidade de tecido mamário em sua composição. Com o passar dos anos existe uma substituição natural da glândula mamária por gordura, diminuindo assim a consistência e a vitalidade. Alguns fatores aceleram o processo como a gravidez, amamentação e grandes ganhos de peso seguido de emagrecimento.
    A mulher pode não ficar contente com sua aparência ao amadurecer, seja por ver que tem seios caídos e sem vida ou porque o volume é pequeno. Quem realizou o sonho de ser mãe pode receber como herança mamas caídas e com os bicos deformados.
    Se isso estiver acontecendo com você e provocando aquela insatisfação, venha nos fazer uma visita e esclareça suas dúvidas sobre esta cirurgia. Quem sabe você não fica mais bonita e contente consigo mesma?

  • A cirurgia de lifting de mamas é arriscada?
  • A incidência de complicações em cirurgia plástica de mama é muito rara. Uma avaliação criteriosa, indicando o procedimento somente em pacientes sadias ou com doenças controladas, reduz muito as complicações.
  • As cicatrizes são visíveis?
  • Ficam localizadas ao redor das aréolas, entre elas e o sulco e no sulco mamário constituindo um T invertido. Inicialmente vermelhas e escuras, vão clareando com os meses, tornando-se finas e claras após cerca de 1 ano. De modo que todas as cicatrizes fiquem dentro da área coberta pelo biquíni ou soutien.
  • Como ficarão minhas mamas no pós-operatório?
  • Quais serão as mudanças?O volume será definido de forma a manter a harmonia do corpo, podendo optar por mamas um pouco mais fartas ou menores. Além disso, elas serão menos flácidas, mais rijas e elevadas, melhorando o aspecto dos colos e dos bicos.
  • A gravidez compromete o resultado da cirurgia plástica?
  • Com a gestação, há um aumento do volume das mamas devido à produção de leite. Dependendo da qualidade da pele da paciente, pode ocorrer uma pequena queda, mas na maioria das vezes, o resultado não fica comprometido.
  • São utilizados drenos?
  • Não são utilizados na maioria dos casos. Em algumas situações específicas, devido aos grandes descolamentos realizados, a produção de líquido aumenta e nestes casos é necessário utilizar drenos para evitar que se acumulem.
  • O pós-operatório é doloroso?
  • Não. Na maioria dos casos o uso de analgésicos e anti-inflamatórios torna o pós-operatório confortável.
  • Quanto tempo depois da cirurgia posso tomar banho completo?
  • O ideal é depois de 24 horas
  • Após quantos dias os pontos podem ser retirados?
  • Geralmente, os pontos começam a ser retirados com 7 dias. Nas visitas seguintes, os pontos continuam sendo retirados até a 3ª semana.
  • O ideal é depois de 24 horas
  • Quando posso voltar a trabalhar e praticar exercícios?
  • Em profissões que não exigem esforços, como atividades administrativas, o retorno é liberado com 10 a 14 dias. Já em atividades sem esforços físicos, os exercícios são liberados com 2 semanas. Além disso, atividades aeróbicas, tipo caminhada, com 30 dias e atividades que exigem esforços, como academia, com 2 meses.

  • REGIÃO DA INTIMIDADE


    Encontrar o parceiro ideal e passar bons momentos ao seu lado é o desejo de toda mulher. Para poder aproveitá-los é preciso estar confiante e segura com seu corpo. A região da intimidade durante muito tempo foi tratada como tabu, intocável para muitas mulheres. No tempo de nossas avós, elas aprendiam a conviver com problemas, muitas vezes, sérios e comprometedores.
    Felizmente, os tempos mudaram e com eles a personalidade feminina. Hoje, as mulheres são mais fortes e destemidas, estão inseridas no mercado de trabalho, são líderes em suas famílias e na sociedade geral. Elas estão cada vez mais preocupadas com bem-estar físico e mental. Para garantir melhor qualidade de vida, muitas pacientes procuram o cirurgião plástico para corrigir alguns detalhes que estão incomodando a vida sexual, entre eles a hipertrofia (aumento) dos pequenos lábios da vulva e o excesso de gordura no Monte de Vênus.
    REDUÇAO DO MONTE DE VENUS O Monte de Vênus é a região coberta por pelos acima dos órgãos genitais. Em alguns pacientes esta região apresenta aumento de volume ou flacidez, sendo visível com uso de roupas justas, o que causa grande constrangimento. A cirurgia de redução do Monte de Vênus é realizada através de lipoaspiração e/ou ressecção de pele e torna a região mais plana. A paciente recebe alta no mesmo dia da cirurgia e o pós-operatório, em geral, é bastante confortável.
    REDUÇAO DE PEQUENOS LABIOS VAGINAIS (NINFOPLASTIA) O aumento de regiões dos genitais externos femininos é uma condição comum que causa muito constrangimento, principalmente relacionados ao ato sexual ou uso de trajes de banho. A ninfoplastia, ou redução de pequenos lábios vaginais, visa a diminuição destas regiões, tornando-as de tamanho normal e preservando a sensibilidade local. As pacientes tem alta no mesmo dia da cirurgia e o pós-operatório, em geral, é bastante confortável.

  • Com que idade devo submeter-me a uma cirurgia da intimidade?
  • Não há uma faixa de idade exata. O momento de fazer a cirurgia depende da época em que a paciente começa a apresentar constrangimento e desconforto em relação ao aumento do volume do Monte de Vênus ou dos pequenos lábios vulvares. Normalmente isto ocorre após a adolescência.
  • Esse tipo de cirurgia deixa cicatriz?
  • A cicatriz final é fina, pequena e fica escondida entre os lábios da vulva. Nos casos em que há apenas gordura localizada, realiza-se uma lipoaspiração local. Já nos casos mais graves em que há excesso de pele, precisamos retirá-la. O resultado final é uma cicatriz pequena, de cerca de 0,5 cm, nos casos leves e uma cicatriz tipo cesareana nos casos mais avançados.
  • Poderei ter filhos após a cirurgia?
  • Sim, mas é recomendado esperar de seis meses a um ano para engravidar. O parto não será prejudicado.
  • Existe algum risco de perder a sensibilidade no local?
  • Nos primeiros seis meses, pode haver uma redução da sensibilidade da vulva ou do Monte de Vênus, mas ela tende a voltar gradativamente. A sensibilidade do clitóris fica intacta, portanto o prazer sexual não é prejudicado.
  • O resultado final é imediato?
  • Não. O resultado final de qualquer cirurgia plástica só aparece definitivamente após seis meses. Porém, após 45 dias já dá para obter um resultado bem próximo do definitivo.
  • Quando é necessário retirar os pontos?
  • Isto não será necessário, porque os fios utilizados nessa cirurgia são absorvíveis.
  • Quando poderei voltar a praticar exercícios físicos?
  • Sete dias após a cirurgia, mas são permitidas apenas atividades leves. Os exercícios são retomados gradativamente e os esportes de contato devem ser evitados por cerca de 3 meses.
  • Quanto tempo devo esperar para ter relações sexuais?
  • Devem-se evitar relações sexuais por pelo menos 21 dias. É recomendado o uso de lubrificantes no primeiro mês.

  • RITIDOPLASTIA: LIFTING DA FACE E DO PESCOÇO


    Em uma sociedade que está cada vez mais idosa, envelhecer com qualidade é uma preocupação frequente. Hoje, permanecemos ativos e inseridos no mercado de trabalho por mais tempo do que na época de nossos pais. Há grande pressão social para apresentarmos uma boa aparência e um aspecto mais jovial.
    Além disso, há muitas pessoas que não trabalham mais, mas que estão em plena atividade, sempre viajando e curtindo a aposentadoria. Assim, desejam também uma fisionomia mais bela e harmoniosa em busca de mais bem-estar. Quando a ação do tempo se faz presente através das rugas, excesso de pele, queda dos tecidos faciais, papada e perda do contorno mandibular, muitos pacientes recorrem ao lifting facial. Conheça mais sobre esta cirurgia fascinante e saiba que dispomos de muitos recursos para você envelhecer com estilo.
    Existem alguns tipos de lifting, classificados de acordo com a região onde é realizado.
    LIFTING FACIAL COMPLETO
    As correções que essa cirurgia pode oferecer são as seguintes:
    - Atenuação das rugas da testa e dos “pés de galinha”.
    - Elevação completa ou dos cantos laterais das sobrancelhas.
    - Retirada das bolsas e do excesso de pele nas pálpebras superiores e inferiores.
    - Reposicionamento e discreto aumento das maçãs do rosto.
    - Diminuição dos lóbulos das orelhas.
    - Lipoescultura do pescoço e tração da musculatura cervical (correção da papada).
    - Redução global da flacidez facial.
    MINILIFTING
    Neste caso, a abordagem inclui o terço médio da face e o pescoço, com descolamento menor do que o empregado no lifting completo. Geralmente, este procedimento é associado com a blefaroplastia (cirurgia plástica das pálpebras), preenchimentos, peelings e Botox® para melhorar a aparência da pele. As maçãs do rosto são reposicionadas e acentuadas, compensando a falta de volume que é comum nesta região nas idades mais avançadas. Simultaneamente, são tratadas as rugas em volta da boca e os sulcos naso-genianos (bigode chinês).
    LIFTING DO PESCOÇO
    Também chamado de lifting da região cervical, ele trata a parte inferior da mandíbula e o pescoço. Seu objetivo é corrigir a flacidez de pele no pescoço, para isso associamos uma lipoaspiração da papada com um reposicionamento da musculatura. Além disso, são feitos preenchimentos em alguns sulcos no pescoço e no queixo.
    Lifting facial completo, minilifting ou lifting do pescoço: cada qual uma solução sob medida para deixar você com a aparência jovial e uma fisionomia mais harmoniosa e bela.
  • O lifting deixa cicatrizes?
  • Toda cirurgia plástica deixa cicatrizes. Mas o cirurgião utiliza recursos para escondê-las da melhor forma possível. Além disso, os cosméticos podem ajudar a torná-las ainda menos perceptíveis.
  • É necessário cortar o cabelo para fazer o lifting?
  • Não. Em alguns casos, o cabelo até ajuda a esconder as cicatrizes.
  • Precisarei trocar os curativos?
  • Sim. O primeiro curativo é retirado no dia seguinte. Depois desse período, são utilizados curativos menores que devem ser trocados por mais 2 dias.
  • Precisarei fazer compressas no pós-operatório?
  • Somente nos olhos. As compressas são muito importantes para que o edema diminua mais rapidamente.
  • Sentirei muitas dores nos primeiros dias?
  • Normalmente não. Mas se o paciente sentir algum desconforto, analgésicos simples podem controlar a dor.
  • Quando posso lavar os cabelos?
  • No dia seguinte. Não há restrições quanto ao banho, somente recomenda-se a utilização de sabonete neutro.
  • Quando precisarei voltar ao consultório para a retirada dos pontos?
  • Cinco a sete dias após o procedimento devem ser retirados os pontos das pálpebras.
  • Quando poderei utilizar maquiagem novamente?
  • Três semanas após a cirurgia já é possível.
  • Há complicações nessa cirurgia?
  • Se forem seguidas todas as orientações e um acompanhamento for realizado, não há grandes riscos. Porém, podem ocorrer imprevistos em relação às cicatrizes, acúmulo de sangue e infecções com frequência muito baixa.
  • Os resultados do lifting são definitivos?
  • Não. A cirurgia rejuvenesce a face sem interferir nos processos de envelhecimento naturais do organismo, deste modo sua aparência terá um aspecto mais jovem, mas como o envelhecimento continua, em alguns anos as marcas do tempo retornarão.
  • Existe uma idade certa para realizar essa cirurgia?
  • Não existe uma idade certa, mas o momento certo. Pessoas que têm boa saúde, entendem os prós e contras do procedimento e tenham real indicação de serem beneficiados pelo procedimento, são bons candidatos. A maioria que se submete a esse procedimento situa-se entre 40 e 65 anos. Isto não impede que pessoas fora desta faixa realizem a cirurgia.
  • Quantos anos vou rejuvenescer?
  • Vou ficar mais bonita?É impossível responder a essa pergunta. Qualquer resposta direta como "10 anos" é mera especulação. Sabemos, sim, que é possível regredir em muito as marcas do incansável relógio do tempo. A cirurgia retira os excessos, ameniza a flacidez da pele e tecidos moles da face. Importante dizer que a cirurgia trata flacidez e não trata rugas. Rugas são amenizadas pela cirurgia, mas requerem outros tratamentos específicos. Observamos casos em que há rejuvenescimento de 5, 10 ou 15 anos. Porém, como não tratamos de ciência exata, ninguém pode prometer isso a você. Em relação a ficar mais bonita, respondemos o seguinte: a cirurgia não muda os traços básicos iniciais do indivíduo. Apenas restaura o que tinha antes e retira os excessos.
  • O resultado dura para sempre?
  • Nenhuma cirurgia plástica tem resultado eterno. Nem tampouco conseguimos prever quais casos manterão por mais tempo o resultado. Há pessoas que "perdem" parcial ou totalmente o resultado em 5 anos. Há casos em que o resultado é mantido após 20 anos. O processo de envelhecimento facial continua e progride (costumamos dizer: "ainda bem". É sinal que está vivo! Esse relógio só pára quando a vida termina).
  • O resultado é muito visível?
  • A cirurgia de face precisa ser combinada com outros procedimentos para resultado completo (peelings, preenchimentos, botoxetc). A cirurgia, em si, muda bastante o aspecto "tátil", o "pegar no rosto e sentir mais firme". Visualmente a cirurgia isoladamente não traz (e não deve trazer) mudanças tão drásticas. Quando o tratamento completo é realizado, utilizando todos os artifícios disponíveis, as mudanças são mais "visíveis" e "palpáveis". Deve-se entender que a cirurgia facial é apenas parte de um tratamento que deve ser amplo.
  • As cicatrizes são muito grandes? Ficam visíveis?
  • O tamanho das cicatrizes é proporcional ao tamanho do procedimento. Em geral são cicatrizes facilmente camufláveis dentro do couro cabeludo. Pequena parte delas é visível na frente da orelha, sendo esta ocultável com o cabelo. Reforço que cicatrizes são para sempre. Apesar de bons resultados serem obtidos por esse procedimento você tem sempre que imaginá-lo como uma "troca". Trocará flacidez e algumas rugas por cicatrizes. Logo após a retirada dos pontos elas ficam bem marcadas. Isso resolve-se com o tempo. Tenha paciência. É comum nesta fase ocorrer um "certo arrependimento" porque às vezes impressiona. Felizmente, passa logo. Assim que o resultado começa a ficar visível, percebe-se que o sacrifício valeu à pena. Toda cirurgia plástica deixa cicatrizes. Mas o cirurgião utiliza recursos para escondê-las da melhor forma possível. Além disso, os cosméticos podem ajudar a torná-las ainda menos perceptíveis.
  • Ouvi dizer que fica muito inchado e feio no começo, é verdade?
  • O inchaço e as marcas roxas dependem do tamanho da cirurgia e de características individuais. Nos primeiros dias fica bem inchado, sendo recomendado ficar em casa, com constantes compressas de água fria no rosto para diminuir o processo de inflamação. Não dar ouvidos a comentários comparativos com outras pessoas também ajuda. Ouça seu médico e tire suas dúvidas somente com ele. Comentários do tipo "será que não houve nada de errado" ou "a cirurgia de fulana não foi assim" não ajudam e somente aumentam a ansiedade.
  • Quais os riscos dessa cirurgia?
  • Sou fumante, posso fazer?Toda cirurgia tem risco. Apesar de essa cirurgia não ser grande, é muitíssimo delicada. A face tem inúmeros pequenos músculos e nervos. Estruturas muito frágeis. O funcionamento de parte deles pode ficar prejudicado no início, causando certa angústia. Mas isso é transitório para a maioria absoluta deles e resolve-se espontaneamente. Entretanto, lesões definitivas de estruturas faciais são descritas na literatura médica e não são impossíveis, apesar de muito raras. Outra possível evolução desfavorável é a "necrose" da pele (a pele morre, não cicatriza e abre ferida). Esse desagradável fato é muito mais frequente em fumantes e pacientes com doenças crônicas não controladas (diabetes, hipertensão descontrolados). O cigarro é um grande vilão para esta cirurgia. Discuta com seu médico se o risco vale a pena no seu caso específico. Temos que ter em mente o seguinte: "Medicina não é uma ciência exata. Tomamos todos os cuidados para minimizar os problemas, mas sabemos que algumas coisas não estão sob nosso controle". É uma cirurgia já muito antiga, pesquisada e difundida. Milhares de pessoas já a realizaram no Brasil, com resultados muito bons. Mas, promessa de resultado 100% perfeito, infelizmente nenhum ser humano pode dar. Estima-se que o risco não seja maior que atos comuns do cotidiano como viajar de carro, avião ou atravessar a rua.
  • Por que alguns ficam com a "cara muito esticada"?
  • Durante a evolução da técnica, muitos "excessos" ocorreram. Dentre eles foi o "esticar demais". Hoje, a busca pelo resultado natural é o objetivo maior de todo cirurgião plástico. Não deixar estigmas da cirurgia, nem resultados artificiais. Isto quer dizer também que certa flacidez restará e também algumas rugas. O rosto deve ser harmônico com o conjunto. A cirurgia visa atenuar os excessos. Algumas rugas transmitem experiência, serenidade e certa dignidade. A palavra é "moderação".
  • Qual a anestesia vou tomar?
  • Anestesia geral ou anestesia local associada à sedação são as mais usadas. Depende da experiência e costume de cada cirurgião.
  • Quanto tempo de cirurgia?
  • Como é uma cirurgia delicada, o tempo cirúrgico não é pequeno. Varia de 3 a 5 horas, podendo até prolongar-se, caso seja associada a outros procedimentos (ex: rejuvenescimento das pálpebras).
  • Qual a diferença entre lifting completo e minilifting?
  • Didaticamente dividimos a face em 3 partes: Testa (terço superior), "Maçã" do rosto (terço médio) e pescoço (terço inferior). O tamanho da cirurgia depende das partes que serão abordadas. Isso requer uma avaliação individual e detalhada. O minilifting é um procedimento menor, em geral mudando apenas o terço médio da face e pouco do pescoço. Combinações diversas de vários procedimentos serão realizadas de acordo com sua necessidade e vontade. Para tratar a região da testa, existem duas técnicas: Incisão coronal e por videoendoscopia (vide desenho). (veja texto sobre Lifting facial por vídeo). A incisão coronal tem sido reservada para poucos casos, devido à extensão da cicatriz desse procedimento. (opinião do autor).
  • Em quanto tempo vejo o resultado definitivo?
  • Não se deve esperar o resultado antes de 3 meses. Sabe-se que ainda haverá mudanças até o final do primeiro ano de pós operatório.
  • Quais os conselhos para quem pensa fazer esta cirurgia?
  • Não buscar nem esperar mudanças drásticas. Prepare-se bem. Faça todo o "checkup" cardiológico, controle de pressão e diabetes (se for o caso). Cigarro não combina com essa cirurgia. O risco é demasiadamente alto. A cirurgia é apenas parte do tratamento. Será necessário, na maioria das vezes, complementar com peelings, preenchimentos com ácido hialurônico, Botox® para alcançar um bom resultado. Leia, informe-se, pesquise e converse bem com seu médico antes de deitar na mesa cirúrgica

  • NARIZ


    Arrebitado ou reto? Pequeno ou marcante? A maioria adoraria ter um igualzinho ao de certa atriz ou cantora. Mas não é tão simples assim, afinal cada rosto combina com um tipo de perfil diferente.
    Então, corra para o espelho e seja sincera: você está plenamente satisfeita com seu perfil? Afinal, você deve achar que a ponta do nariz pode ser mais fina e o ossinho do dorso um pouco mais discreto e menor. O ideal mesmo é que ele seja igualzinho ao da Nicole Kidman, mas, infelizmente, nem tudo o que a gente deseja pode ser realizado.
    Por isso, antes de começar a sonhar com o novo narizinho, é preciso saber que o novo formato deve ser definido baseado em uma série de fatores, como os desejos e as expectativas da paciente, a anatomia da face, as linhas estéticas do dorso, os pontos luminosos, a relação do dorso com a ponta e o tamanho das asas nasais.
    Como deu para perceber, não é tão fácil chegar ao resultado de um nariz que combine perfeitamente com seu rosto e consiga ser exatamente igual ao da sua musa da beleza predileta. E se você pensa que o cirurgião decide o formato do nariz só de olhar, está enganada(o). Existem inúmeras avaliações que auxiliam o cálculo das proporções e são fundamentais para nortear o planejamento do novo nariz.
    A Rinoplastia é a cirurgia plástica que corrige as deformidades estéticas do nariz, mas com a função principal de preservar uma respiração de qualidade.
    PROCEDIMENTOS ISOLADOS
    É comum os pacientes chegarem ao consultório com queixas relacionadas a apenas um detalhe do nariz ou a uma parte específica que deseja diminuir ou reconstruir. O cirurgião deve ter uma visão apurada do equilíbrio harmônico facial, precisa estudar as possibilidades da cirurgia, obedecendo à proporcionalidade do nariz em relação a ele mesmo. Milímetros podem representar grandes desproporções na rinoplastia. Essa cirurgia tem como objetivo básico chegar a um nariz bonito e funcional, mas que não pareça ser um nariz reconstruído. CORREÇÃO DA PONTA NASAL GLOBOSA E CAÍDA
    Esta característica origina-se da cartilagem alar muito grande, estrutura responsável pela definição da ponta do nariz. Por ser uma alteração típica de negros, pardos, descendentes de árabes e orientais, costuma estar associada à asa nasal alargada. Assim, efetua-se uma retirada do excesso da cartilagem do local. O procedimento é realizado em condição asséptica e dura aproximadamente 2 horas. A incisão é realizada na columela (estrutura entre a ponta e o lábio). A alteração denominada ponta nasal caída ocorre quando o ângulo entre o lábio e o nariz é menor do que 90º. A cartilagem que dá sustentação à ponta é muito pequena e provoca uma projeção para baixo. Nos homens, as proporções que definem uma harmonia facial padrão, determinam que o ângulo seja de 90º, enquanto nas mulheres, em que o nariz é um pouco mais arrebitado, o ângulo deve ser de 110º.
    CORREÇÃO DO DORSO NASAL
    Algumas pessoas apresentam o osso na parte superior do nariz um pouco elevado. Esta cirurgia tem o objetivo de deixá-lo reto; é composta da retirada de um excesso ósseo e uma pequena porção da cartilagem do dorso do nariz.
    FRATURA DE NARIZ
    Para diminuir a largura do nariz, é preciso realizar uma fratura (osteotomia) para separar os ossos da base nasal daqueles que ficam em contato com o nariz na maxila. Mas a indicação da fratura nasal é feita após uma análise meticulosa porque há um limite entre a rinoplastia com e sem a fratura do nariz. Desta forma, forçar demais suas estruturas para não realizar uma fratura, pode desencadear um resultado grosseiro, no qual algumas dimensões podem ficar desproporcionais e o equilíbrio estético entre ele e a face, prejudicado. Ao contrário desta lógica, fraturar o nariz sem que haja necessidade pode induzir um déficit na respiração da paciente. Portanto, a análise do cirurgião deve ser detalhada e compreender em primeiro lugar, as questões funcionais do nariz, sua complexidade e, só depois, sua harmonia estética. Assim, decisões erradas nesta área podem provocar sérios danos.
    DIMINUAÇÃO DA ASA NASAL
    A asa nasal larga é uma característica genética que ocorre, na maioria dos casos, associada a negros e orientais. Isso acontece porque o orifício nasal é grande e a implantação da asa é mais lateral. Quando não há nenhuma outra função nasal prejudicada, a asa pode ser operada isoladamente para sua correção estética. A incisão é feita no sulco entre ela e a bochecha, por isso a cicatriz fica bem escondida e imperceptível.
    PROCEDIMENTOS ASSOCIADOS
    Embora grande parte das pessoas cheguem ao consultório com a idéia de corrigir apenas uma parte do nariz, às vezes não é possível intervir somente no tamanho do dorso ou na ponta caída ou no tamanho das asas pois há algumas regras estéticas e funcionais que devemos respeitar.
    Deste modo, a modificação na estrutura de uma parte do nariz pode representar a deformação de outra. Por exemplo, a raspagem do dorso nasal pode deixar a ponta do nariz caída. Assim, de forma associada, é necessário levantar a ponta para que haja equilíbrio entre todas as suas partes.
    Há alguns casos desconfortáveis que são conhecidos como sorriso gengival. Isto é, quando a pessoa sorri, há uma exposição acentuada da gengiva dos dentes superiores porque ocorre uma hiperatividade dos músculos do lábio superior que o traciona excessivamente. Essas pessoas ficam com vergonha quando sorriem e muitas até evitam fazer isso. Como solução para o problema, há técnicas de alongamento labial que são realizadas sem cicatrizes externas porque as incisões são feitas dentro da boca, por esta via os músculos são tratados para promover uma diminuição da força do lábio. Após isso, você estará tranquila para sorrir e aproveitar bons momentos de alegria.
  • A partir de quantos anos posso realizar rinoplastia?
  • Logo após a puberdade, as estruturas cartilaginosas (que são grande parte na estrutura do nariz) já estão formadas, sendo, portanto, possível realizar a cirurgia. No entanto, esse tipo de procedimento, por tratar-se de estrutura central da face, muda muito a fisionomia pessoal, podendo interferir em traços de personalidade. Por isso, assim como em toda cirurgia, é recomendável muita maturidade emocional, o que nem sempre encontramos em adolescentes. Cirurgias em menores de idade são possíveis, mas devem ser avaliadas caso a caso.
  • Ouvi dizer que existem diversos "modelos de narizes". Quais são?
  • Em nosso país existe muita miscigenação, o que produz belezas por vezes muito raras e exóticas. Encontramos, então, uma mistura de varias etnias, produzindo formas e tamanhos diferentes de narizes. Alguns biotipos básicos podem ser assim classificados.
  • Essa cirurgia deixa cicatrizes?
  • Existem diversas maneiras de abordar o mesmo problema. Vai depender da forma com que seu médico esta habituado a operar e de sua experiência. Existem casos onde não há cicatriz externa visível (endorrinoplastia) e outros requerem cicatriz externa (na columela ou nas asas nasais quando estas forem "muito abertas". Cicatrizes externas (exorrinoplastia) na columela e asas nasais são muito pouco perceptíveis, porém a qualidade delas depende também de fatores inerentes a cada organismo, que não podem ser mudados pelo cirurgião.
  • Posso escolher o tamanho e forma do nariz que desejar?
  • Existem parâmetros bem definidos de proporção facial que produzem um resultado harmônico. Tão importante quanto o formato do nariz é se "ele combina ou não com a face". Proporções de largura, altura e angulações são estabelecidas e buscadas. Cada tipo de nariz comporta uma mudança específica. Baseamos as mudanças do nariz sempre em dois fatores: 1) O que em seu nariz pode ser mudado. 2) O que em seu nariz deve ser mudado. Isso somente pode ser definido com uma extensa e minuciosa conversa entre médico e paciente. Nem sempre o que o paciente quer é possível e nem sempre o que o médico pode oferecer é o que o paciente quer. Somente conversando para saber.
  • Tenho a ponta do nariz "gordinha" ou "batatinha". Dá para melhorar?
  • Frequente queixa em narizes caucasianos. Chamamos de ponta "bulbosa" quando tem formato redondo e com pouca projeção. O resultado dessa cirurgia depende muito da espessura da pele. Peles muito grossas não permitem que o resultado esculpido nas estruturas internas apareça. Ou seja, peles grossas têm resultados parciais. Em geral o resultado é muito agradável.
  • Sou descendente de orientais e tenho dificuldade para apoiar os óculos. É possível melhorar?
  • As características do nariz oriental incluem: Dorso nasal muito baixo, asa nasal larga, pele grossa. Em alguns casos, o dorso nasal é tão baixo que dificulta o apoio dos óculos. Para correção desse problema é necessário aumentar o dorso com algunasartificios. Podem ser usados cartilagem do septo nasal, costelas e materiais sintéticos. Os sintéticos são de preferência do autor, principalmente o MEDPOR® (Polietileno poroso).
  • Acho meu nariz muito "largo". O que pode ser feito?
  • Esta é uma característica que faz parte dos narizes orientais e afrodescendentes. Existem parâmetros bem definidos para dizer se o nariz é largo ou não. Em geral, a largura do nariz deve corresponder a 1/5 da largura facial ou ter o mesmo comprimento da pálpebra. Caso seja realmente "largo", podemos estreitá-lo cirurgicamente.
  • Quando eu sorrio, minha gengiva fica muito exposta. Ouvi dizer que junto com a cirurgia do nariz esse problema pode ser corrigido. É verdade?
  • A exposição da gengiva superior, quando sorrimos, idealmente, não deve ser maior que 2mm. Quando essa exposição é maior, alguns músculos podem ser tratados durante a cirurgia de nariz, visando minimizar o problema.
  • É verdade que tem que "quebrar o osso do nariz"?
  • Isso dói?Nos casos em que o dorso nasal é muito alto e precisa ser reduzido, frequentemente é necessário realizar a osteotomia (fratura óssea). Esse procedimento, apesar de causar inchaço e manchas roxas, não causa dor. É necessário realizar imobilização por 7 dias com gesso ou material plástico para evitar mobilização.
  • Como é a evolução do pós-operatório? Vou ficar com nariz tampado?
  • Contrariando o que a maioria pensa, o pós operatório da cirurgia de nariz não é doloroso. Quando são realizados outros procedimentos como "correção do desvio de septo" ou "carne esponjosa", em geral há certa dificuldade para respirar nos primeiros dias. Na rinoplastia estética, na maioria das vezes, apenas a parte externa do nariz é imobilizada, não causando grande desconforto. O tão temido tampão nasal causa certo incômodo, pois obriga a respiração pela boca. Em geral é usado por 24h em cirurgia estética (podendo prolongar-se em caso de cirurgia para melhorar a respiração).
  • Quanto tempo o resultado demora a aparecer?
  • Muitas mudanças são visíveis logo nos primeiros dias após a cirurgia, causando até certa euforia. Porém, a maioria das mudanças acontece com o passar do tempo. Após 2 ou 3 meses, as mudanças são mais tênues, mas continuam ocorrendo. O nariz só vai desinchar completamente após 1 ano ou mais. Em cirurgia plástica, a rinoplastia é um dos procedimentos mais demorados para obtenção do resultado final.
  • Ouvi dizer que o tipo de pele (pele fina ou pele grossa) interfere no resultado cirúrgico, é verdade?
  • Costumamos fazer a seguinte comparação para responder a essa pergunta. Imagine cobrir-se com um lençol fino e cobrir-se com um cobertor grosso. Com um lençol fino, toda a forma abaixo dele é evidenciada. O mesmo não pode ser dito com o cobertor. Sendo assim, quando a pele é fina, todo o trabalho esculpido na arquitetura interna do nariz pode ser mostrado. O mesmo não ocorre em narizes com a pele grossa. Isto não quer dizer que não se deva operar estes casos, mas sim, que os resultados serão diferentes.
  • Como é a recuperação da cirurgia?
  • Em quanto tempo posso voltar a trabalhar?A recuperação é proporcional ao tipo de procedimento. Quando é necessário fraturar e reposicionar o osso, causa mais inchaço e manchas roxas, sendo necessário "mais tempo de molho" (em torno de 5 a 7 dias). Cirurgias menores (apenas manipulação da ponta ou asas nasais) têm recuperação muito rápida (3 a 5 dias). Importante lembrar aos usuários de óculos que, se realizado fratura, não é possível usar óculos por pelo menos 3 semanas, sendo necessário uso de lentes de contato nesse período.
  • Como é a recuperação da cirurgia?
  • Em quanto tempo posso voltar a trabalhar?A recuperação é proporcional ao tipo de procedimento. Quando é necessário fraturar e reposicionar o osso, causa mais inchaço e manchas roxas, sendo necessário "mais tempo de molho" (em torno de 5 a 7 dias). Cirurgias menores (apenas manipulação da ponta ou asas nasais) têm recuperação muito rápida (3 a 5 dias). Importante lembrar aos usuários de óculos que, se realizado fratura, não é possível usar óculos por pelo menos 3 semanas, sendo necessário uso de lentes de contato nesse período.
  • Qual o tipo de anestesia?
  • Anestesia pode ser local, com sedação, ou anestesia geral. Tudo depende da extensão da cirurgia e opção da equipe cirúrgica e anestésica. Ambas as opções são muito seguras quando a equipe está preparada e o local é adequado.
  • Eu respiro mal, vai melhorar depois da cirurgia estética?
  • É muito comum um "nariz grande que respira mal". Sabe-se que as mesmas alterações que, por vezes, prejudicam a aparência, podem prejudicar a função. Desvios do septo nasal, hipertrofias dos cornetos (estruturas responsáveis pela filtração e umidificação do ar) devem ser corrigidos antes ou no mesmo ato cirúrgico. Esses procedimentos deve ser feito por especialista da área (Otorrinolaringologista). Assim, além da melhora estética, haverá melhora funcional.
  • Eu respiro bem. Há risco de piorar depois da cirurgia estética?
  • Às vezes, o paciente tem algum pequeno problema interno que não causa sintomas. O trauma cirúrgico e redução do tamanho do nariz impostos pela cirurgia estética podem "ser a gota d´agua" que estava faltando para aquele pequeno problema causar sintomas. Esse infortúnio pode ser evitado com adequado preparo pré-operatório, detectando possíveis alterações e tratando-as conjuntamente com a cirurgia estética, antes mesmo que causem sintomas. De nada adianta ter um nariz lindo que não funciona!
  • Quais os riscos da cirurgia? Existe risco de "precisar reoperar"?
  • Como em todas as cirurgias, existem riscos. Riscos relacionados à anestesia são inerentes a qualquer procedimento. Hoje, felizmente, muito raros devido ao grande avanço das técnicas anestésicas. Talvez esse risco não seja maior que o das atividades cotidianas como viajar de automóvel, avião ou atravessar uma rua movimentada. Pequenas irregularidades podem permanecer ou aparecer. Narizes com desvios para o lado são difíceis de corrigir. Desvios residuais podem persistir ou ocorrer mais tardiamente. Na literatura médica, em torno de 2 a 5% dos narizes operados, necessitam de uma cirurgia complementar para conseguir o resultado almejado. Em geral, consegue-se muita melhora, mas as limitações impostas ao cirurgião ainda são grandes. Jamais atingiremos a perfeição do Criador. Não existe cirurgia 100% perfeita. Existem melhoras que podem ser atingidas, sob um risco mínimo, que vale a pena correr
  • Vale mesmo à pena operar?
  • A rinoplastia proporciona melhora considerável na fisionomia estética e funcional. Quem espera a perfeição completa não deve ser operado. Somos imperfeitos por natureza, com várias assimetrias em maior ou menor grau em várias partes do corpo. Não é diferente no nariz. Algumas características desfavoráveis muito marcantes podem sim ser corrigidas (atenuadas). Se você espera resultados realistas, será muito feliz com sua cirurgia.

  • ORELHAS


    É uma situação muito freqüente na população esta condição denominada orelha em abano. Estima-se que 5% da população tenha a orelha "mais aberta" do que os parâmetros considerados normais. Sabe-se que em algumas etnias esta condição é mais frequente. Apesar de ser considerada uma deformidade estética leve, pode causar profundos traumas psíquicos a crianças e adultos, com esta condição. Incontáveis apelidos na escola podem limitar a produtividade e interação da criança em uma fase muito delicada da sua vida. O tratamento deste problema esta longe de ser considerado um "mero capricho" ou "excesso de vaidade".
    Ter uma boa simetria facial é fundamental para a aparência de uma pessoa e elementos que destoam do que consideramos bonito são decisivos na definição do bem estar.
    As orelhas são importantíssimas para uma bela harmonia da face e suas alterações são muito destacadas. Podemos observar sua importância quando vemos alguém que apresenta algum distúrbio auricular, principalmente quando está ausente uma das orelhas.
    Orelhas proeminentes (orelhas de abano) podem se tornar um grande trauma psicológico para crianças e adultos que não foram operados durante a infância.
    A cirurgia de orelha de abano, ou otoplastia, pode ser feita a partir de 7 anos e restabelece a posição e formato das orelhas, devolvendo autoestima e prevenindo prejuízos futuros.
    O lóbulo de orelha bífido (fendido) é uma condição frequente de muitas mulheres. Podendo ser causado por uso de brincos pesados ou mesmo processos alérgicos, seu tratamento é de simples solução.
    A otoplastia é a cirurgia para correção da orelha de abano. Realizada sob anestesia local, acompanhada ou não de sedação, é feita através de pequenas incisões atrás das orelhas. A cartilagem é esculpida e dobrada para refazer a dobra inexistente na orelha (anti-hélice). Após esta etapa a orelha é fixada em sua nova posição, ficando mais próxima a superfície óssea posterior à orelha.
    A lobuloplastia é a cirurgia para correção de lóbulo bífido ou fendido. Realizada sob anestesia local, a integridade do lóbulo é refeita e diversas técnicas são possíveis para evitar que esta condição volte. Após a cicatrização um novo furo na orelha é feito em local apropriado, permitindo a paciente usar brincos com segurança novamente.
    Orelha em Abano: Caracteriza-se pela orelha que se projeta lateralmente, dando a impressão de abano. Normalmente, esta projeção é maior que 90º (ângulo entre a cabeça e a região mais profunda da orelha, chamada de concha auricular). Além disso, há uma falha na formação de sua dobra interna (antihélice) e um aumento de tamanho da concha.
    Lóbulo Bífido (Rasgado): Esse é um problema muito comum entre as mulheres, principalmente quando seus brincos engancham na roupa ou quando eles são exageradamente pesados. Esta deformidade, além de não permitir o uso do brinco, incomoda por chamar muito a atenção.
  • A otoplastia deixa cicatrizes muito aparentes?
  • Esta cirurgia praticamente não deixa cicatrizes visíveis, uma vez que a incisão é feita no sulco atrás da orelha. Além disso, é uma região com pele muito fina e baixa tensão promovendo uma cicatrização muito boa.
  • Qual é a idade mínima para a realização desta cirurgia?
  • A partir dos sete anos é possível fazer a otoplastia, porque o crescimento da orelha já está concluído nesta idade.
  • O cabelo atrapalha a ação do cirurgião? Precisarei cortá-lo?
  • Muito pelo contrário, além de não atrapalhar, o cabelo longo ajuda a disfarçar o inchaço e a cicatriz.
  • O resultado da otoplastia é imediato?
  • Os detalhes da orelha já podem ser vistos imediatamente após a cirurgia. Porém, nos primeiros 21 dias há um leve inchaço e rouxidão que diminuem gradativamente com o passar das semanas. Além disso, pode ocorrer latejamento em dias quentes, mas essa sensação também tende a diminuir com o tempo.
  • Eu vou sentir dor após a cirurgia?
  • O limiar de dor é muito pessoal. De um modo geral, os dias que seguem à otoplastia são praticamente indolores. Mas, se a paciente sentir desconforto, analgésicos simples são suficientes para seu controle.
  • Qual é a posição correta para dormir?
  • Mantenha o rosto preferencialmente virado para cima, porém dormir de lado é permitido. Mas, o uso de uma faixa elástica por 30 dias é obrigatório, independente de qualquer coisa. Este cuidado é para evitar que as orelhas se dobrem durante o sono.
  • É preciso utilizar curativos?
  • Sim. Durante as primeiras 24 horas, utilizam-se gazes cirúrgicas para proteção e absorção de secreções.
  • Quando preciso retornar ao consultório para retirar os pontos?
  • Na primeira semana é realizada uma consulta de revisão e após duas semanas da cirurgia, os pontos são retirados.
  • A sensibilidade da orelha fica prejudicada?
  • O edema residual pós-operatório provoca uma perda de sensibilidade transitória que retorna ao longo das semanas.
  • Há risco das orelhas voltarem a se afastar e o problema do “abano” voltar?
  • O riso existe porém é pequeno, desde que a(o) paciente siga as instruções corretamente e não haja complicações durante a cirurgia.
  • Corro risco de desenvolver quelóide na cicatriz?
  • A chance de surgir quelóide é determinada geneticamente. Desta forma, o cirurgião plástico faz um questionário sobre os antecedentes da paciente antes de decidir sobre a viabilidade da cirurgia. Através deste procedimento de segurança é possível prever se há risco aumentado de desenvolver uma cicatrização anormal.
  • A partir de que idade a criança pode ser operada?
  • Considera-se que aos três anos de idade a criança tenha 85% do desenvolvimento da orelha completo. A partir desta idade já seria possível operar, sem maiores prejuízos ao crescimento da orelha. Estudos recentes sugerem que, até mesmo antes desta idade (um a dois anos), o procedimento pode ser seguro. Entendemos que a melhor idade é a quando a criança inicia o período escolar (hoje cinco a sete anos). Neste período, a criança já entende e, por vezes, já se incomoda com o problema. Ainda não ficou "traumatizada", mas já tem entendimento de que passará por um processo para melhorar aquela aparência. Algumas vezes, pais ansiosos querem corrigir este problema antes desta idade. Antes disso, a criança não entende porque está sendo submetida ao procedimento e encara apenas como agressão. Isto pode dificultar a cooperação após a cirurgia (curativos, limpeza).
  • Qual a alteração existente nas orelhas em abano?
  • Na figura abaixo listamos as estruturas normais de uma orelha. A alteração mais comum encontrada na orelha em abano é a ausência ou "apagamento" da estrutura chamada "anti-hélice", deixando "lisa" a parte interna da orelha. Outra alteração frequente é a cartilagem da concha muito grande, tornando a orelha mais aberta que os parâmetros normais.
  • Como é feita esta cirurgia?
  • Fazemos uma incisão na parte de trás das orelhas e tratamos o que o caso necessita. Durante a cirurgia, é confeccionada através de pontos a nova anti-hélice, devolvendo os contornos naturais da orelha. Quando necessário, retiramos o excesso de cartilagem da concha, no intuito de permitir o fechamento da orelha. Algumas pessoas têm o lóbulo da orelha (parte onde se pendura o brinco) projetado para frente. É possível amenizar este problema com pequenas variações na técnica tradicional.
  • Qual o tipo de anestesia?
  • Em crianças acima de 10 anos e adultos geralmente utilizamos a anestesia local associada à sedação leve. Permite uma rápida recuperação e alta hospitalar muito precoce. Crianças menores de 10 anos, usualmente são submetidas à anestesia geral..
  • Quanto tempo dura a cirurgia?
  • Em média uma hora a uma hora e meia.17Quais os cuidados no pós-operatório?
  • Quais os riscos desta cirurgia?
  • É considera cirurgia de baixo risco, mas não é isenta de riscos. A parte de trás das orelhas pode acumular umidade e sujidades, aumentando o risco de infecções cirúrgicas. A cartilagem humana é a estrutura que confere rigidez à orelha. Ela não tem suprimento sanguíneo próprio e utiliza o suprimento da pele para sobreviver. Ou seja, caso a pele seja comprometida, a cartilagem debaixo dela sofrerá bastante. Além da infecção operatória, hematomas e assimetrias podem ocorrer. Aliás, é muito comum as orelhas apresentarem-se assimétricas antes da cirurgia. Estas assimetrias são atenuadas, mas raramente eliminadas. Outra alteração menos grave, mas frequente, é de sensibilidade. É comum a sensibilidade tátil da orelha diminuir no pós-operatório inicial. Após alguns meses (em geral acima de seis meses), observamos recuperação total da sensibilidade. No entanto, não são incomuns alterações da sensibilidade a longo prazo.
  • É possível que a orelha volte a abrir depois da cirurgia?
  • Existe uma parcela de pacientes que podem apresentar algum grau de recidiva. Ou seja, as orelhas voltarem a abrir. Geralmente são orelhas "mais duras". Quando isso ocorre, é possível e desejável realizar uma cirurgia complementar após o período de cicatrização (após 90 dias), para atingir o resultado almejado. Trata-se de situação desagradável para ambos (paciente e médico), mas cuja ocorrência é perfeitamente possível. Estima-se que a taxa de recidiva média seja em torno de 5 a 10% dos casos. Por fim, trata-se de um procedimento de baixo risco, período de recuperação curto e resultados muito animadores.

  • PÁLPEBRAS


    BLEFAROPLASTIAS: CIRURGIA DAS PALPEBRAS E BOLSAS PALPEBRAIS
    As pálpebras são freqüentemente as primeiras estruturas a apresentar envelhecimento na face. Diversos fatores como idade, exposição ao sol, tabagismo e obesidade podem causar flacidez, excesso de pele e o aparecimento de bolsas de gordura, ocasionando olhar cansado e entristecido. A cirurgia de pálpebras, ou blefaroplastia, visa devolver a aparência jovem do olhar, o que reflete em melhor imagem da face como um todo.
    A blefaroplastia é realizada através de incisões localizadas entre as dobras de pele das pálpebras superiores e próximo aos cílios nas pálpebras inferiores. Tanto nas pálpebras superiores quanto nas inferiores são retiradas peles em excesso e bolsas de gordura. Associamos cantopexia a todos os procedimentos para evitar complicações como olho arredondado (lagoftalmo / ectrópio). O uso de toxina botulínica (Botox®) é muito freqüente para atenuar as rugas ao redor dos olhos ("pés-de-galinha") e da testa (linhas de expressão). Não é necessário uso de curativos e os pacientes podem ter alta no mesmo dia.
  • Existe uma idade ideal para se operar as pálpebras?
  • Não. Tanto pacientes de mais idade quanto mais novos podem ser submetidos ao procedimento. Em pacientes mais jovens, por exemplo, muitas vezes não existe flacidez da pele na pálpebra e sim um excesso isolado das bolsas de gordura palpebrais (principalmente nas pálpebras inferiores). Nesta situação, o cirurgião pode tratar esta estrutura por uma cicatriz que fica na parte interna da pálpebra, chamada blefaroplastiatransconjuntival, sem a necessidade de cicatrizes externas.
  • Onde se localizam as cicatrizes da blefaroplastia?
  • São visíveis?As pálpebras constituem uma das regiões onde a pele apresenta pouca espessura, isso auxilia em muito a qualidade da cicatrização e permite que as cicatrizes fiquem escondidas nos sulcos naturais da pálpebra superior ou na margem ciliar da pálpebra inferior. Assim, desde os primeiros dias de pós-operatório, elas podem ser disfarçadas com uma maquiagem leve e após 3 meses, as cicatrizes ficam imperceptíveis.
  • Que tipo de anestesia é utilizado na blefaroplastia?
  • Na maioria das vezes utilizamos a anestesia local com sedação endovenosa. Como a blefaroplastia tem curta duração e são utilizados anestésicos de boa qualidade, o paciente não sente qualquer tipo de dor durante toda a cirurgia. Porém, em alguns casos, utilizamos a anestesia geral, que é reservada para situações nas quais os pacientes têm contra-indicação à anestesia local (muito raro) ou em cirurgias em que existem outros procedimentos associados, como por exemplo, uma cirurgia de lifting de face.
  • Há dor no pós-operatório da cirurgia?
  • Geralmente não mas, quando ocorre, é de pequena intensidade e pode ser controlada com anestésicos comuns.
  • Qual o período de internação da blefaroplastia?
  • Depende muito do tipo de anestesia utilizada. Em anestesias locais com ou sem sedação, como a recuperação anestésica é mais rápida, o período médio de internação é de 12 horas. Quando se utiliza anestesia geral, a internação média é de 24 horas.
  • Meus olhos ficarão ocluídos após a cirurgia das pálpebras?
  • Geralmente não. O que recomendamos é a aplicação de compressas geladas por alguns minutos e várias vezes ao dia. Com este cuidado, o inchaço das pálpebras resolve-se bem mais rápido.
  • O que são as manchas roxas que aparecem após a blefaroplastia?
  • Estas manchas correspondem ao depósito de sangue embaixo da pele da pálpebra ou na conjuntiva ocular e é devido à manipulação cirúrgica. No entanto, essas manchas regridem espontaneamente após 10 dias. Neste período, a proteção solar deve ser rigorosa, uma vez que a incidência de raios solares sem a devida proteção pode torná-las permanentes.
  • As pálpebras ficam muito inchadas após a cirurgia?
  • Por quanto tempo persiste o inchaço?O inchaço das pálpebras após a blefaroplastia varia muito de intensidade entre os pacientes. Nos primeiros 3 dias, este inchaço apresenta-se mais pronunciado, reduzindo então gradualmente. Neste período, a utilização de compressas com soro fisiológico gelado pode ser útil para reduzi-lo e permitir sua regressão mais rapidamente. Após o 7º dia, as pálpebras apresentam-se com aspecto bem natural, de modo que após 21 dias, o edema residual é imperceptível e já permite atividades sociais.
  • Quando atingirei o resultado definitivo da blefaroplastia?
  • Em geral após 6 meses, quando o inchaço já terá regredido por completo e a cicatriz atingido sua maturidade. No entanto, após a 2ª semana, pelo menos 50% deste resultado já poderá ser observado.
  • Ouvi falar de um tipo de cirurgia nas pálpebras inferiores que não deixa cicatriz. Que cirurgia é essa?
  • Alguns candidatos à blefaroplastia não possuem flacidez na pele da pálpebra inferior, no entanto possuem aquele inchaço característico que é provocado pela protrusão das bolsas de gordura embaixo da fina pele local. Nestes casos, como não precisamos retirar a pele flácida, podemos realizar a incisão na parte interna da pálpebra inferior, chamada conjuntiva ocular. A este tipo de procedimento chamamos blefaroplastiatransconjuntival (através da conjuntiva) e tem sido cada vez mais indicada em pacientes jovens com bolsas palpebrais em excesso com pele sem flacidez. Uma das principais vantagens é que não existem pontos a serem retirados e a recuperação pós-operatória é mais rápida do que nas cirurgias convencionais.
  • Ouvi falar de um tipo de cirurgia nas pálpebras inferiores que não deixa cicatriz. Que cirurgia é essa?
  • Alguns candidatos à blefaroplastia não possuem flacidez na pele da pálpebra inferior, no entanto possuem aquele inchaço característico que é provocado pela protrusão das bolsas de gordura embaixo da fina pele local. Nestes casos, como não precisamos retirar a pele flácida, podemos realizar a incisão na parte interna da pálpebra inferior, chamada conjuntiva ocular. A este tipo de procedimento chamamos blefaroplastiatransconjuntival (através da conjuntiva) e tem sido cada vez mais indicada em pacientes jovens com bolsas palpebrais em excesso com pele sem flacidez. Uma das principais vantagens é que não existem pontos a serem retirados e a recuperação pós-operatória é mais rápida do que nas cirurgias convencionais.
  • Ouvi falar de um tipo de O resultado da blefaroplastia compensa?
  • Caso você consiga explicar suas queixas e o cirurgião atenda as suas expectativas, a cirurgia certamente compensa. É importante salientar que, se executada isoladamente, a blefaroplastia não proporciona rejuvenescimento à face inteira. Seu objetivo é melhorar a região periorbitária. Para o rejuvenescimento facial como um todo, outros procedimentos devem ser realizados com a finalidade de otimizar o resultado, entre os quais podemos citar os preenchimentos, a aplicação de toxina botulínica (Botox®), os peelings e o lifting facial. É dever do cirurgião, durante a consulta, passar todas as informações sobre as diversas técnicas disponíveis para deixar você cada vez melhor.
  • Existe uma idade ideal para operar?
  • Não existe uma idade ideal para operar. Existe sim o momento e a indicação certa. Flacidez de pele, bolsas gordurosas proeminentes, que conferem aspecto de cansaço, são mais comuns após os 40 anos. Algumas pessoas, porém, apresentam antes ou depois disso. O importante é observar se há flacidez de pele, rugas ao redor dos olhos e bolsas de gordura suficientes que justifiquem o procedimento. Em geral , pacientes com pele mais clara apresentam essas alterações mais precocemente.
  • As cicatrizes ficam muito visíveis?
  • Não ficam. Essa é uma das cirurgias em que a cicatriz fica mais perfeitamente camuflável. As pálpebras "toleram" muito bem os procedimentos, resultando em cicatrizes ocultas nas dobras naturais, pouco perceptíveis ou "quase imperceptíveis". Na pálpebra superior ela fica junto ao "sulco palpebral superior", uma prega natural. Na inferior, fica há poucos milímetros dos cílios, de forma bastante aceitável. A maturação cicatricial passa por algumas fases, sendo mais visíveis de "durinhas" no início, tornando-se mais "moles" e clarinhas com o passar dos meses.
  • Tenho "bolsas" que saltam principalmente na pálpebra inferior. Melhora?
  • Essas "bolsas" de gordura podem aparecer com a idade ou, em algumas pessoas, ser uma característica pessoal, aparecendo cedo na vida. Em ambos os casos podem ser diminuídas e atenuadas, diminuindo o visual de "cansaço" que as mesmas conferem ao rosto. Temos, no total, 2 bolsas na pálpebra supeiror e 3 na inferior. Cada caso deve ser avaliado individualmente quanto à parte a ser tratada. Se houver apenas bolsa de gordura, sem excesso de pele na pálpebra (comum em pacientes mais jovens), a cirurgia pode ser realizada pela via "transconjuntival", com corte apenas na parte interna da pálpebra, sem nenhuma cicatriz externa (ver figura). Caso haja excesso de pele, a cicatriz externa abaixo dos cílios é necessária.
  • Cirurgia das pálpebras corrige "pés de galinha"?
  • A cirurgia corrige a flacidez das pálpebras. Atenua pequenas rugas na pálpebra. No entanto, não reduz em nada os "pés de galinha", que são rugas na parte lateral do olho. Podem ser atenuadas com peelings, Botox® e preenchimentos.
  • Cirurgia das pálpebras corrige "pés de galinha"?
  • É possível corrigir alterações da posição da pálpebra com essa cirurgia?
  • Sim. É muito frequente, após os 55 a 60 anos, ou antes, caso haja algum problema, alterações da posição da pálpebra. Ocorre mais comumente na pálpebra inferior, devido à frouxidão da pele e das estruturas que sustentam a pálpebra. Durante a cirurgia existem manobras que podem reposicionar a pálpebra.
  • Além da pálpebra flácida, tenho a sobrancelha caída. Vai corrigir?
  • Não. São problemas diferentes, com tratamentos diferentes. A sobrancelha caída é corrigida pela cirurgia de Lifting facial (ou frontoplastia), que pode ser realizada pela técnica convencional (com cortes grandes) ou pela videoendoscopia (com cortes menores). Quando a sobrancelha é caída, em geral, sobra um pouco de pele na região externa (lateral) após a cirurgia da pálpebra, tornando o resultado "parcial".
  • Cirurgia de pálpebra dói muito?
  • Fica muito roxo e inchado?A cirurgia de pálpebra não dói. Aliás, eu costumo não prescrever nenhum analgésico. Apenas compressa gelada é suficiente para efeito anti-inflamatório ; previne o inchaço e diminui as manchas roxas. Se dói muito, não está seguindo o repouso e cuidados devidos, ou algo pode não estar bem. A pele da região dos olhos é muito fina e delicada, sendo assim, pequenos traumas causam inchaço, manchas roxas e certa dificuldade para abrir os olhos nos primeiros dias. Em geral, no dia da retirada dos pontos (4 a 7 dias), já está bem melhor.
  • Em quanto tempo são retirados os pontos?
  • Quatro a 7 dias são suficientes. Muito cuidado é necessário na hora de enxugar o rosto, vestir uma camisa/camiseta de gola mais apertada, pois pequenos traumas podem ser suficientes para abrir os pontos nesta fase inicial.
  • Qual o tipo de anestesia?
  • Anestesia local com sedação é o mais comum quando operamos apenas as pálpebras. Quando associada a outros procedimentos, prefere-se a anestesia geral. Essa decisão será tomada em conjunto com o profissional anestesiologista.
  • Os olhos ficam ocluídos após a cirurgia?
  • Os olhos não ficam ocluídos. Apenas as pálpebras ficam inchadas. Certo "peso" nas pálpebras pode ocorrer.
  • Em quanto tempo retorno à minha vida normal?
  • Quais os cuidados pós-operatórios?Em geral 7 dias após a cirurgia. Os cuidados iniciais estão mais relacionados com o repouso; evitar calor excessivo; evitar o sol; fazer compressas geladas. Maquiagem somente após a cicatrização (10 a 14 dias).
  • Quais os riscos dessa cirurgia? Posso ficar cego?
  • Como sempre enfatizamos, todo procedimento tem seus riscos. Inchaço demasiado e hematomas são os mais frequentes inconvenientes. Sensação de "olho seco", manchas vermelhas na conjuntiva (parte branca do olho) são menos frequentes, mas desagradáveis. Ectrópio (pálpebra evertida para fora) e mau posicionamento palpebral são raros e necessitam de cuidados especiais. Alterações na posição da pálpebra são as mais temidas e responsáveis pelo aspecto artificial de "olho operado" já relatadas. A medicina está em constante evolução e, felizmente, esses casos têm diminuído cada vez mais. Complicações mais sérias, como cegueira, já foram relatadas na literatura médica. Em geral estão relacionados a cirurgias maiores como a reconstrução de pálpebra ou em pessoas com doenças oculares e sistêmicas (cardiopatias, hipertensão não controlada, diabetes, etc). Ponto crucial nessa cirurgia, assim como nas outras, é realizá-la apenas quando o paciente goze de boa saúde e tenha condições clínicas mínimas associadas a bom preparo pré-operatório.
  • Tenho o "olho ressecado", pode piorar?
  • Tenho o "olho ressecado", pode piorar?Todo paciente com sintomas de "olho seco" deve visitar o oftalmologista antes de operar as pálpebras. Após manipulação cirúrgica, as glândulas que produzem a lágrima podem ficar "preguiçosas" por certo período, piorando o desconforto. Nessa fase, colírios que lubrificam os olhos são muito úteis.
  • O que é cirurgia de OCIDENTALIZAÇÃO?
  • A pálpebra oriental é estruturalmente bem diferente da pálpebra ocidental. A espessura maior da pele e maior quantidade de gordura são as alterações mais frequentes. O músculo que levanta a pálpebra (músculo elevador da pálpebra) insere-se na pele, formando a característica "dobrinha" na pele, característica das pálpebras ocidentais. Cerca de metade dos orientais tem a inserção desse músculo muito baixa, não formando a tal "dobrinha". Apesar de marca registrada da etnia, não agrada a todos, pois referem ficar com "olhar menos desperto" ou "cara de sono", "pouco ativa". Pensando assim, é muito requisitada a cirurgia que ficou batizada como "ocidentalização", onde é artificialmente desenhada esta prega de pele. Ilustramos as diferenças entre as pálpebras.
  • Ouvi dizer que o laser de CO2 pode substituir essa cirurgia. É verdade?
  • Em alguns casos pode sim. Em pacientes com discreta flacidez na pálpebra inferior, associada a bolsas de gordura proeminentes, o laser de CO2 pode amenizar o problema, evitando a cirurgia. Porém, para atingir o mesmo resultado da cirurgia, a intensidade do laser deve ser "forte", resultando em inchaço e descamação da pele. Ou seja, as alterações e restrições ocasionadas por ambas as intervenções são similares. Converse com seu médico sobre esta possibilidade.
  • Afinal, vale à pena operar?
  • Desde que não esteja esperando por mudanças "milagrosas", mas para atenuar as marcas do tempo, vale à pena , sim. As cicatrizes são esteticamente aceitáveis e camufláveis nas dobras naturais das pálpebras. Você vai passar por diversas fases na recuperação e, por vezes, perceberá assimetrias, inchaço, manchas roxas e fios de sutura, todos em locais extremamente visíveis. Muitas vezes gera certa angústia e você deve estar preparada para isto. Consulte somente seu médico para "saber se tudo está indo bem". Comparações com casos de amigas apenas geram insegurança e ansiedade.